Os gêmeos devem dormir no mesmo berço?

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Aqui a gente apresenta uma das eternas perguntas que as mães de gêmeos se fazem. Os gêmeos, trigêmeos não conhecem o mundo de outra maneira que não sejam juntos no ventre da sua mãe, então por que não continuar com essa prática depois de saírem do útero materno

Gêmeos. Juntos no mesmo berço ou separados?

os-gêmeos-devem-dormir-no-mesmo-berço A 

Essa decisão depende muitas vezes das circunstâncias dos pais mais do que da convivência para o bebê, já que, às vezes colocar dois berços no mesmo quarto do casal se converte numa autêntica odisséia. Mas, deixando de lado as circunstâncias pessoais, existem vários estudos que mostram os benefícios de que os bebês durmam juntos nos primeiros meses de vida. 

Ainda que, como é normal, tudo tem os seus prós e contras. Alguns pediatras, junto com a Associação Holandesa de Pais de Múltiplos desaconselha que bebês gêmeos durmam juntos alegando que existe uma maior probabilidade de sofrer a síndrome da morte súbita, e sugerem colocá-los juntos só nos momentos de vigília. Outro dos fatores que persuadem aos pais para não colocar seus gêmeos juntos é a idéia de que seus filhos despertem mutuamente ao chorar ou que possam sofrer um superaquecimento.  

No entanto, em 2006, a doutora Hellen Ball da Universidade de Durhan fez um estudo com gêmeos com menos de 3 meses em que se comprovou que todas essas observações não eram corretas. No seu estudo não havia um risco maior para os bebês em dormir juntos, tão pouco sofriam uma elevação da temperatura corporal, e nem sequer se despertavam mais frequentemente, mas sincronizavam seus despertares. 

Benefícios para os gêmeos em dormir juntos

Outra comprovação reveladora se fez no Hospital Santa Fé de Valencia, onde se fez um experimento há mais de uma década, que marcou definitivamente a maneira de tratar aos bebês de partos múltiplos a partir de então. Foi comprovado que quando se colocavam juntos na mesma incubadora o seu crescimento se acelerava, sua respiração se tornava mais tranquila e o nível de oxigênio no sangue aumentava, com o que implicava numa diminuição do nível de ansiedade e preocupação dos pais. A partir de então, foram importadas umas incubadoras duplas e uns berços especiais.  

Os benefícios para os gêmeos são claros, e no caso de trigêmeos, quadrigêmeos pode ser feita uma rotatividade nos berços para que todos estejam ao lado dos seus irmãos.

Eu, como mãe de gêmeas, fiz tudo ao contrário do que os pediatras recomendam nesse assunto: coloquei minhas filhas em berços separados e, além disso, no seu próprio quarto (minha mãe me dizia que eram os primeiros bebês independentes que via). O caso é que primeiro por desconhecimento sobre o assunto (naquela época não havia tanta informação), e depois porque nosso quarto era tão pequeno que não me permitia nem sequer ter um só berço ao lado da nossa cama; as meninas ficaram independentes ao nascer. Para nós isso não se tornou um problema; ainda que, talvez o único incômodo fosse o aleitamento materno; a mãe tinha que se levantar até o quarto ao lado para amamentá-los e isso é muito mais complicado do que tê-los ao lado. 

O fato de que um bebê acabe despertando ao outro com o choro também ocorreria em berços separados, mas no mesmo quarto, e eu posso assegurar que estão tão acostumados aos ruídos do outro que parece incrível que nem sequer se incomodam. 

O que fica claro é que os gêmeos que dormem juntos se  aproxima, se cheiram, se buscam e se tocam. Eles se tranqüilizam ao saber que estão ao lado um do outro e dá gosto vê-los se abraçar

No final das contas é assim que eles estiveram sempre desde o ventre da mamãe.

Patricia Fernández

Redatora de Guiainfantil.com