Alimentos que mudam o sabor do leite materno

Quais alimentos podem gerar rejeição do bebê ao leite materno

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A dieta materna após o parto influencia em grande medida no leite que o peito produz. Não na quantidade, mas sim nos sabores, cheiros e as quantidades de alguns dos nutrientes que contêm.

O bebê prova diferentes sabores antes de nascer

alimentos-que-mudam-sabor-leite-materno A

Já foi demonstrado que as partículas encarregadas de dar sabor aos alimentos são capazes de atravessar a barreira placentária, uma vez que, dentro do útero, onde o feto engole líquido amniótico de maneira habitual, já está em contato com os sabores mais frequentes da dieta de sua mãe. No entanto, dentro do útero materno o bebê não pode fazer nada a respeito, mas pode fazê-lo quando estiver tomando leite materno, rejeitando-o se o sabor em questão o desagrada.

Ainda que isso seja possível, pode com mais frequência, acontecer que os bebês alimentados com leite materno se sintam mais atraídos a provar e aceitar depois novos alimentos, já que estão acostumados às habituais mudanças de sabor do leite materno. O leite de fórmula, obviamente, sempre é o mesmo, com o mesmo sabor e cheiro, a não ser que mude de marca.

Alimentos que alteram o sabor do leite materno

Na realidade, poderia se dizer que todos os sabores passam ao leite materno, mas o bebê já está acostumado a eles e os conhece desde o útero materno. No entanto, sabores desconhecidos ou alguns conhecidos, mas mais fortes ou intensos, podem surpreendê-lo, tanto para o bem, como para o mal.

- Alho: O fato de que os sabores dos alimentos passem ao leite materno é algo que sempre tem intrigado aos pesquisadores, e existem vários estudos a respeito. Por exemplo, em um deles, realizado há mais de 20 anos, foram utilizadas pílulas de alho para observar o seu efeito nos lactentes diante de um grupo em que se administravam pílulas sem alho (placebo). Curiosamente, quando a intensidade de alho era maior no leite, mais atraídos os bebês sentiam para amamentar. Este estudo, onde nem as mães, nem os pesquisadores sabiam quem recebia a pílula de alho e quem recebia o placebo, pôde demonstrar a presença tanto de cheiro como de essência de alho na composição do leite materno do grupo de mães eu tomavam as pílulas de alho.

- Aspargos, cebolas, alcachofras e couves-de-bruxelas: Outros alimentos potencialmente implicados na mudança intensa do sabor do leite são os aspargos, verdes e brancos, as cebolas, as alcachofras ou as couves-de-bruxelas. O sabor e o cheiro desses alimentos são detectáveis no leite durante um espaço de tempo variável, geralmente segundo a intensidade do mesmo e da quantidade de alimento ingerido, por isso, qualquer que seja o efeito no lactente, desaparece no final de algumas horas, voltando à normalidade.

O consumo de alguns desses alimentos pode se relacionar também com o aparecimento de flatulências. Este tão pouco é motivo para evitar o seu consumo durante o aleitamento, já que mesmo se a mãe venha a sofrer uma terrível tarde de gases depois de comer um prato de couve-flor gratinada, por exemplo, os gases que esta produz não atravessam a barreira intestinal, não passam ao sangue, e, portanto, tão pouco sai pelo leite materno, assim que o bebê está completamente a salvo. 

Deste modo, ainda que não seja necessário evitar nenhum alimento de antemão, porque mudam o sabor do leite ou porque produzam gases, é possível acontecer do bebê rejeitar o peito em alguma ocasião devido à mudança no sabor do leite materno, por isso é decisão da mãe, ou não, de evitar o alimento em questão.

Carlota Reviriego

Nutricionista