Corrigir a criança quando pronuncia mal

A partir de que idade a gente deve corrigir a criança na sua pronúncia

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

As crianças aprendem a falar ao interagir com os adultos desde o momento do seu nascimento. Quando uma criança emite uma mensagem, seja mediante um gesto, um som ou uma palavra, recebe uma resposta por parte dos seus pais que lhe serve como reforço e incentiva o seu aprendizado. Essa retroalimentação é essencial no aprendizado da linguagem e no resto das aprendizagens.

Mas, com frequência acontece que quando a criança está aprendendo a falar, não pronuncia bem algumas palavras. Muitos pais acham engraçadinho e ao invés de corrigi-la, dão risada. Com essa atitude, a única coisa que conseguem é que a criança não aprenda a pronunciar a palavra de forma correta. 

O que acontece quando a gente ri da criança das palavras mal pronunciadas ou imitamos a sua linguagem infantil

corrigir-a-criança-quando-fala-errado-bebê A 

Quando a gente ri dos erros que as crianças cometem ao se expressar ou ao imitar sua linguagem infantil (por exemplo, quando dizemos a ela ‘au, au, au’ ao invés de cachorro ou ‘run, run, run’ ao invés de carro), a única coisa que estamos fazendo é enfatizar sua maneira infantil de falar. Reforçando essas condutas estaremos freando seu desenvolvimento evolutivo e corremos o risco de que a criança apresente um atraso na fala ou de linguagem. 

Como podemos favorecer o desenvolvimento da linguagem dos nossos filhos

Devemos levar em conta algumas recomendações simples para favorecer e estimular a linguagem dos nossos filhos: 

1. Trate de utilizar uma linguagem clara e natural, com frases compreensíveis para a criança e bem estruturadas. Uma linguagem adequada à idade e no nível de desenvolvimento do seu filho, evitando abusar dos diminutivos ou imitar sua linguagem infantil. 

2. É bom falar com seu filho com frequência, devagar e vocalizando, mas sem chegar a simplificar ou empobrecer a mensagem. Procure apresentar palavras novas para que vá enriquecendo o seu vocabulário.

3. Preste mais atenção ao que a criança está falando do que como está pronunciando. Não lhe corrija constantemente, nem a obrigue a repetir bem palavras que são difíceis de pronunciar para ela. Já é suficiente repetir a palavra corretamente depois da criança ter falado, ou repeti-la no contexto de uma frase. Por exemplo, se a criança fala ‘aga’ para expressar a palavra água, devemos responder: ‘vamos beber água’ bem pausadamente e enfatizando o que ela falou. Temos que apresentar um modelo correto e não aprovar um erro. 

4. Lembre-se que falar e explicar as coisas à criança é muito positivo, mas melhor ainda é escutá-la, e fazer isso relaxadamente. Tente não interrompê-la quando estiver falando e dê-lhe tempo para se expressar.

5. Dedique um tempo diário para estar com o seu filho e a falar com ele. Se você fizer comentários ao invés de perguntas, logo verá que ele vai desfrutar mais. Você pode estimular sua linguagem de muitas maneiras: lendo e comentando contos, brincando, falando do que ele fez na escola, cantando canções, desenhando juntos, comentando o que está fazendo enquanto dá banho nele, arrumando um quarto, preparando a comida... O importante é compartilhar vários momentos de conversa. 

David González Montero

Psicopedagogo