A importancia do descanso para as crianças que praticam esportes

Tanta atividade física é saudável? Como colocar limites na prática de esportes pelas crianças?

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Quanta atividade física é saudável para uma criança? Traumatologistas, pediatras, fisioterapeutas e reabilitadores físicos estão cansados de atender em seus consultórios uma excessiva quantidade de lesões devido à sobrecarga em atletas menores de idade.

Cómo dar limite às crianças desportistas

crianças que praticam esportes

"Ainda não é uma epidemia, mas chegará a isso devido ao ‘boom’ de crianças atletas. Os pais estão lançando seus filhos muito cedo em esportes competitivos”, insiste Julio Ardura, chefe do serviço de Pediatria do Hospital Clínico de Valladolid (Espanha). “O esporte na criança pode fazer mal. Busca-se o resultado e não a saúde” é o aviso da Federação Espanhola de Medicina do Esporte.

A crescente frequência de danos ósseos, articulares e musculares em menores devido à overdose dessas partes do corpo como consequência de uma prática desportiva repetitiva e abusiva fez com que a Academia Americana de Pediatria publicasse um documento para que os profissionais aconselhassem certos limites aos pais dessas crianças. 

Os especialistas chamam a atenção do treinamento excessivo não apenas a nível físico, mas também mental. “Isso pode levá-los ao desgaste e gerar um efeito prejudicial para toda a sua vida”, dizem os médicos.

Principais conselhos para as crianças desportistas 

As recomendações publicadas na revista Pediatrics, se dirigem aos profissionais, mas também aos pais e técnicos desportivos das crianças. 

- Não treinar nem competir durante um ou dois dias por semana para permitir que o organismo se recupere. 

- O tempo dedicado ao treinamento, o número de repetições ou a distância percorrida não devem ser aumentadas em mais de 10% a cada semana. 

- Animar ao desportista que tire dois ou três meses de férias por ano, nos quais não pratique uma disciplina específica. 

- Insistir que o objetivo da atividade deve ser a diversão, a aquisição de habilidades, a segurança e ao espírito esportivo. 

- Animar a que se participe somente uma equipe a cada ano. Se o atleta compete em torneios de fim de semana, ele deve respeitar igualmente os dois dias de repouso. 

- Se o menor se queixar de problemas musculares ou articulares inespecíficos, mostre fadiga ou um rendimento escolar baixo, os pais devem estar alertas para um possível caso de desgaste. Investigue o seu nível de motivação na prática do esporte. 

- Advogar para que sejam introduzidos assessores para acompanhamentos médicos nos torneios infantis de fim de semana para treinar crianças e jovens atletas sobre as doenças e enfermidades associadas à atividade física inadequada. 

- Encorajar o desenvolvimento de programas educativos para pais e treinadores sobre nutrição e reposição de líquidos, segurança no esporte e medidas para evitar a sobrecarga de treinamentos. 

- Advertir, principalmente sobre esses aspectos, aos familiares dos menores desportistas que participam em múltiplos torneios em curtos períodos de tempo.