Bullying entre irmãos. Causas e sintomas

Como identificar se existe abuso entre irmãos

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Muitos pais pensam que o bullying só é coisa que acontece em escolas e por culpa dos pais que não tenham educado bem aos seus filhos. Mas, o bullying pode ir muito mais além das portas da escola ou da negligência do colégio ou da má educação dos pais... O bullying pode estar dentro de um lar e pode acontecer entre irmãos. 

O bullying entre irmãos é muito mais comum do que pensa a maioria das pessoas. Uma grande parte do bullying entre irmãos tem a ver com a rivalidade ou a competição que pode haver um com o outro, ou que não são os mesmos para os seus pais. Numa situação como essa, se não forem tomadas medidas adequadas pode se agravar consideravelmente. A casa familiar é o lugar onde uma criança deve se sentir segura e em pleno conforto. O impacto negativo de uma criança quando o seu agressor vive na mesma casa (ou no mesmo quarto) pode ser horrível. 

4 sinais que advertem que existe bullying entre irmãos

bullying-entre-irmãos-causas-sintomas A

O assédio entre irmãos é uma forma de violência entre eles. É mais comum quando as crianças são pequenas, mas também pode chegar à idade adulta, algo que pode deixar graves sequelas nas crianças. 

É necessário que os pais estejam atentos para saber se os seus filhos estão tendo problemas onde um tem tomado o lugar do agressor e outro o lugar da vítima e que está passando muito mal. Muitas vezes as vítimas dos seus irmãos preferem ocultar o seu mal estar por medo de retaliações. Existem alguns sinais de alerta que os pais devem observar com consciência para saber que algo está errado: 

1. Insultos e violência psicológica em relação a um irmão. Os insultos são os sinais mais comuns de abuso entre irmãos. Um insulto pode fazer mais dano inclusive do que o abuso físico. Muitos insultos podem destruir a autoestima de uma criança fazendo com que tenha problemas na sua vida. Qualquer forma de negatividade de um irmão ao outro deve ser tratada imediatamente. 

2. Agressões físicas. As crianças podem se sentir frustradas quando não sabem expressar suas emoções de forma assertiva por não poder expressar as coisas que as estão incomodando. Ao invés disso arremetem contra seus irmãos e lhes agridem fisicamente (chutes, socos, beliscões, puxões de cabelo, etc.). A agressão física não deve ser tolerada sob nenhuma circunstância. 

3. Ganging (termo em inglês usado quando mais de dois irmãos estão envolvidos no bullying em relação a outro). Os irmãos podem combinar para atacar a um irmão e isso provocará uma luta desigual. Por exemplo, podem causar um ‘vácuo’ fazendo com que o irmão vítima se sinta só e possa levá-lo inclusive à depressão ou à ansiedade. 

4. Tentar destruir ao irmão em qualquer aspecto (físico, social, psicológico). Pode ir desde quebrar o brinquedo favorito do irmão, até ridicularizá-lo de forma social diante de pessoas conhecidas como amigos e familiares ou desconhecidos, como num bar ou nas escolas e colégios. 

María José Roldán

Mestre e Psicopedagoga