Como evitar conflitos e brigas entre irmãos

Dicas para acabar de vez com as brigas entre irmãos

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Um dos momentos que mais causam desgostos aos pais é quando os filhos começam a discutir e a brigar entre eles, seja por ciúmes, disputas ou invejas. Por isso me parece importante que nós, pais, ensinemos aos nossos filhos desde cedo a controlar seus impulsos e emoções, como também, a saberem viver em paz e harmonia com os outros.

Pais diante das brigas entre irmãos

Peleas entre os filhos

Com os irmãos, as crianças aprendem muitas coisas, mas, sobretudo a compartilhar, a ganhar e a perder, a dar e a receber. 

A atitude dos pais diante das brigas e ciúmes dos nossos filhos deve ser de conciliação e moderação. Afinal, somos os pais os governantes da nossa casa. Quando se tem um filho e nasce outro, muitos pais experimentam certo desequilíbrio em casa. O primogênito já não reina sozinho. De agora em diante, terá que aprender a dividir as atenções dos seus pais, seus avós e de toda a família, com o seu novo irmãozinho.

Essa é uma situação difícil de conciliar para os pais porque, por um lado têm um bebê recém-nascido que necessita de atenção quase as 24 horas do dia, e por outro, existe uma criatura que, claro, continua requerendo as atenções e o cuidado que vinham tendo até agora com ela, e que não entende porque perdeu alguns privilégios para um 'intruso'. 

Esses ciúmes unilaterais, especialmente do filho maior ao filho pequeno podem ser apenas o princípio. Logo, quando crescem um pouquinho mais começam as comparações, e, consequentemente as invejas, o egoísmo e rivalidades. O que fazem é lutar pelo carinho, a atenção, e o protagonismo diante dos seus pais.

O que desejam é atenção exclusiva, destacar e impor sua vontade sobre a do outro e 'reinar'. Nessa tentativa, existe algo positivo: cada filho tenta ser melhor pessoa diante dos seus pais, buscando fazer tudo de uma melhor maneira, tudo com a intenção de mostrar aos pais que é melhor que o outro. 

Os ciúmes são inevitáveis, ainda que corresponda aos pais controlá-los e mediá-los, e a interceder em casos de um conflito maior, para evitar que essa situação se prolongue muito. Também é uma grande oportunidade para os pais para ensinar valores como o respeito, a tolerância e a paciência.