Como educar as emoções dos filhos

A importância da inteligência emocional nas crianças

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Os pais podem ensinar aos filhos a canalizarem suas emoções e a identificá-las. É importante que as crianças aprendam a se controlar e a serem empáticas com as outras. A educação emocional faz parte da formação da criança. A psicóloga Silvia Álava, nesta entrevista a Guiainfantil.com, esclarece em que consiste a inteligência emocional, como se pode medi-la nas crianças e como educar suas emoções e sentimentos para que sejam mais felizes.

Educar as emoções e sentimentos das crianças

como-educar-as-emoções-dos-filhos A

Como os pais podem educar as emoções dos filhos?

Os pais podem ajudar a educar as emoções dos seus filhos, com certeza. Mas, será ainda mais efetivo se o fizermos com um correto programa de educação emocional. Porque esses programas de educação emocional têm demonstrado um efeito positivo sobre o ajuste psicológico, sobre o rendimento acadêmico e sobre as relações sociais, e diminuem também os comportamentos agressivos.

É importante que os pais trabalhem com as crianças a importância da comunicação, que aprendam a expressar suas emoções, a dizer como se sentem. Também se deve trabalhar a empatia: saber como se sente, mas também como a outra pessoa está sentindo. Quando trabalhamos a empatia, quando nós somos empáticos, isso vai nos ajudar muito nas nossas relações sociais, e vai nos ajudar a entender como o outro se sente, e no momento em que entendermos isso, vai nos facilitar para sabermos qual é a conduta que devemos ter, e isso devemos educá-los desde bem pequeninos. 

Como ensinar as crianças a canalizarem seus sentimentos?

Uma das coisas mais importantes é dizer-lhes o que não se vai permitir: que gritem, que dêem chute ou que façam birras. Se a criança vir que canalizando a emoção dessa forma, que é mediante as birras ou mediante uma explosão emocional, que tem público, esse comportamento se vê muito reforçado. Logo, a primeira coisa que temos que fazer é eliminar esse reforço. 

Trabalhar desde o que em psicologia chamamos extensão. Dizer-lhe que essa conduta não será válida em absoluto e que quando a fizer terá que ficar um momentinho sozinho. Até que não eliminemos esta parte positiva que a birra possa ter para a criança, a criança não estará em condições de aprender a regular sua emoção de outra forma.  Talvez apenas dizendo, olha, é verdade que eu me sinto mal, mas é só isso. Já vai passar e eu começo a fazer outra coisa. 

Como e quando temos que ensinar as crianças a controlarem suas emoções? 

As crianças devem ser ensinadas a controlar as emoções desde bem pequenas, e serem ensinadas a tolerar as frustrações. A primeira coisa que devem aprender é como a perceberem. Nós podemos dizer à criança: ‘entendo que você está chateada porque não pode comer seu caramelo, mas é que agora não pode comê-lo’.

Desde pequeninos, os pais já podem ajudar os filhos a ir controlando as emoções. E o fundamental, quando são pequenos é ensiná-los que sejam capazes de reconhecer as emoções, que saibam quando está contente ou triste, que saibam quando estão chateados, que saibam quando estão com medo, que saibam verbalizá-lo, e também a tolerância à frustração. Isso é algo que temos que aprender desde a mais tenra infância. 

Que tipo de capacidades emocionais os pais devem reforçar nos seus filhos? 

Se atendermos a este modelo que estamos falando sobre a inteligência emocional, os 4 fatores das capacidades seriam: 

- que as crianças aprendam a perceber suas próprias emoções, tanto as suas como a dos demais. 

- que aprendam a compreender as emoções, o que está acontecendo com elas e com os demais. 

- que essas emoções facilitem também o seu comportamento. 

- que aprendam a geri-las e canalizá-las.

Estes seriam os pilares básicos das habilidades emocionais que se deve trabalhar com as crianças. Não devemos nos esquecer de favorecer muito bem um clima de confiança, que possa haver uma boa comunicação. Que a criança, desde bem pequena, possa comunicar e possa dizer como se sente. Os pais devem perguntar à criança como ela se sente, mas também como ela acredita que eles e os amiguinhos estão se sentindo. São coisas fáceis que as crianças podem ir aprendendo, e que os pais possam ir ensinando desde muito pequenos.

Silvia Álava Sordo, psicóloga 

Diretora da Área Infantil  

do Centro de Psicologia Álava Reyes Consultores.  

Colaboradora de GuiaInfantil.com