Quando a criança é sempre do contra

Conduta desafiante da criança em relação aos pais

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

‘O meu filho é sempre do contra e já estou ficando farta e sem paciência’. Essa é uma afirmação muito comum entre pais. Sobretudo, entre pais cujos filhos têm idades compreendidas entre 2 e 4 anos. Ainda que também seja uma situação que aconteça quando as crianças começam na escola. 

Esse tipo de comportamento dos filhos tem um paralelismo com a adolescência. Por isso, a nesse período pode ser chamado de ‘a adolescência infantil’ e convive com o período de ataques. 

Por que as crianças são do contra

quando-a-criança-é-sempre-do-contra A 

- Nessa época de contradição a criança quer ser independente e tomar decisões por si mesmas. 

- Essa atitude desafiante acontece com mais probabilidade quando estão cansadas, têm fome, sofrem estresse ou estejam alteradas. 

- Esse tipo de comportamento é com frequência uma parte normal do desenvolvimento em crianças pequenas. Por exemplo, a criança só se mostra desafiante com a pessoa mais próxima a ela, ou talvez quando se sente tratada injustamente e mostra que é do contra aos adultos para fazer-lhes ver como se sente e inclusive não se sente bem no meio escolar. 

Mas, a gente deve se preocupar quando ocorre de maneira frequente e consistente e o comportamento que mostre que sobressai na comparação com as outras crianças da sua mesma idade e fase de desenvolvimento. Também quando afeta a um funcionamento normal da vida social tanto no ambiente familiar como na escola. 

O que fazer quando a criança é do contra 

Essa etapa no desenvolvimento das crianças acontece de maneira natural e é passageira, mas pode se converter numa carga para os pais. Então, o que fazer para suportá-la durante esse período? 

- Tenha muita paciência. Não perder a paciência nem deixar que te provoque. Há que respirar fundo e contar até 10.  

- Cuidado com o castigo. Devemos recordar que essa fase é algo natural. Está aprendendo a comunicar a sua vontade. Castigar não ajuda. 

- Ajude-a. Quando for do contra, na verdade está se defendendo. Antes de castigá-la e se chatear observe como está sendo o seu comportamento. Será que ela tem razão? Você não perde nada em comprová-lo. 

- Autonomia. Provoca situações em que ela possa ser independente e assim dar-lhe o que pede. Por exemplo, ofereça-lhe alternativas para que escolha aonde quer ir para brincar ao invés de se impor.  

- Converse. Ainda que acredite que a criança seja ainda muito pequena tente falar com a criança para que explique como pode ser sempre do contra.  

- Não permita alteração na voz. Se a criança não só te contradiz, mas também grita, insulta ou eleva sua agressividade, há que manter a calma, mas ser firme e deixar muito claro que não irá tolerar esse comportamento.  

- Ignorar. Se a criança continua empenhada em ser do contra e não está disposta a falar contigo nem a solucionar ignore o comportamento e não foque sua atenção nessa conduta. 

Borja Quicios

Psicólogo educativo