O começo da escola. Período de adaptação para as crianças

Como pode ser o período de adaptação das crianças ao início da escola

Vilma Medina

Vilma Medina

O começo da escola é sempre uma experiência diferente para as crianças, que, às vezes pode ser muito difícil. Para suavizar essa situação, a primeira vez que a criança vai à escola ela precisa de um período de adaptação em que os pais e professores devem colaborar igualmente. 

Marta Victorio Blanco, educadora infantil nos mostra como deve ser a adaptação das crianças pequenas à escola infantil

A primeira vez da criança na escola

o-começo-da-escola A 

Quando chega o momento de começar a etapa escolar pela primeira vez, os pequenos enfrentam uma situação, no primeiro momento, que não é fácil assimilar. 

Na maioria dos casos, procurar uma escola implicará a primeira vez em que a criança vai se separar do seu âmbito familiar, que para ela representa segurança e proteção. A criança se encontrará num lugar novo, desconhecido para ela; encontrará alguns companheiros que não conhece e uma nova figura de autoridade que também é desconhecida para ela. Por isso, para tornar essa etapa mais fácil e tranquila nesses primeiros dias até que se sintam seguros é recomendável realizar um período de adaptação. 

É normal que, durante esses primeiros dias, as crianças mostrem diferentes tipos de comportamentos como resposta ao medo e à insegurança ao se sentirem ‘abandonadas’ num local desconhecido, tais como: choros, birras, timidez, ataques e vômitos. Mas, a gente não deve se assustar porque é a sua forma de nos comunicar o seu descontentamento e, pouco a pouco, vão desaparecendo. 

O papel dos pais na adaptação à escola

Os pais têm um papel muito importante durante esses dias, já que suas atitudes poderão fazer com que essa situação seja mais tranquila para seus filhos. Portanto, é recomendável que sejam compreensivos com eles, que facilitem esse trânsito falando-lhes do que vai acontecer com vários dias de antecedência. 

Os pais podem passar em frente ao centro escolar para que a criança veja por fora e explicar-lhes o que é uma escola infantil e que relação vai ter com ela. Tentar compreender seus medos e temores para saber como consolá-los e ajudá-los. E, uma vez, chegado o grande dia, evitar despedidas prolongadas para fazer desse momento o mais tranquilo possível. 

E, sobretudo, é importante para todos levar em conta que cada criança é um mundo particular, diferente de qualquer outro. Por isso, cada um terá uma resposta diferente a uma mesma situação. Assim, os períodos de adaptação terão durações diferentes em função da personalidade da criança, e a gente não tem que se angustiar por isso. A melhor resposta é fazer que todo esse processo de adaptação transcorra de forma natural

Marta Victorio Blanco

Educadora Infantil

Colaboradora de GuiaInfantil.com

O papel da escola para a criança adotada

O papel da escola para a criança adotada

Quando uma criança é adotada, sempre passa por um processo de acompanhamento e uma primeira fase deve ser o estreitamento do vínculo com os seus novos pais. A escolarização virá numa segunda fase e vai requerer da escola e dos pais adotivos muita tranquilidade.

7 erros dos pais nos primeiros dias de escola

7 erros dos pais nos primeiros dias de escola

O primeiro dia na escola infantil ou no colégio é um momento muito importante para pais e para as crianças. Implica numa mudança enorme para os bebês ou aos pequeninos da casa que até esse momento têm estado em um meio conhecido. Da noite para o dia eles terão que enfrentar adultos desconhecidos, outras crianças, outras rotinas, outros lugares.

Telefonemas da escola: o que será que aconteceu com o meu filho?

Telefonemas da escola: o que será que aconteceu com o meu filho?

Que susto as mães leva quando as chamam na escola! Em décimos de segundos passa tanta coisa na cabeça: uma queda, uma simples ferida, um ferimento grave, uma torção ou um pequeno corte. Até que do outro lado do telefone a gente escuta que tudo está bem com o nosso filho e que, apesar dos pesares, a criança está bem e a gente se tranquiliza um pouco.

0 comentarios