Educar a criança com valores. A empatia

A importância de educar a criança na empatia e na perseverança

Vilma Medina

Vilma Medina

A psicóloga infantil Alicia Banderas ensina aos pais através do seu livro ‘Hijos Felices’ (Filhos Felizes – em espanhol) a como educar as crianças no valor da empatia e da perseverança para que no futuro sejam pessoas capazes de trabalhar em equipe e enfrentar os problemas com determinação.

Guiainfantil.com conversou com Alicia Banderas sobre como é imprescindível para a vida e o futuro dos sonhos profissionais das crianças educá-las em determinados valores como a empatia. 

Como educar na empatia e na perseverança

educar-a-criança-com-valores-a-empatia A

Estamos em um mundo em que se prima pelo trabalho em equipe. Hoje em dia ter uma carreira brilhante não te assegura nada. O sucesso profissional e na vida em geral depende da gestão das emoções, de como se trabalha com as pessoas.

A empatia se educa, e um exemplo claro disso se dá quando uma criança faz algo ruim ou causa dano a alguém. Nesse momento os pais podem fazer-lhe três perguntas, evitando assim deixar o problema passar: 

1. Como você acredita que o seu amigo que foi prejudicado por você se sentiu?

2. Como você se sentiria se ele fizesse a mesma coisa com você? 

3. O que você pode fazer para solucionar essa situação?

Com essas três simples perguntas se pode educar a criança na empatia e na sociabilidade da mesma forma que para a vontade e a determinação se deve educar a criança na perseverança

Normalmente, as crianças quando estão estudando um problema de matemática, por exemplo, logo se frustram quando não conseguem a solução. 

A ansiedade pode fazer com que a criança deixe o exercício sem resolver, por isso há que ensinar as crianças que essa ansiedade pode ser superada lendo repetidamente o enunciado, respirando profundamente durante uns segundos e quando eles vejam que podem voltar a enfrentar o problema, elas o farão com êxito.

Se os pais conseguem que seus filhos compreendam a importância de serem perseverantes, quando a vida os colocar em alguma dificuldade eles saberão que passarão um pouco mal no início, mas que com constância conseguirão seguir em frente.

Educar a criança com valores. A Tolerância

Educar a criança com valores. A Tolerância

Ser tolerante é aceitar e admitir a diferença ou a diversidade, é respeitar a opinião dos outros. A criança não nasce tolerante. Sua conduta natural é que tudo seja para si, e que todos estejam de acordo com ela, por isso o aprendizado deve ser o mais cedo possível.

Educar a criança com valores. A Honestidade

Educar a criança com valores. A Honestidade

Como educar a honestidade nas crianças. Como ensiná-las para que sejam honestas. Uma pessoa honesta atrai a confiança e o respeito dos demais. O que podemos fazer para conseguir que nossos filhos sejam honestos com nós mesmos, com nossos familiares e amigos?

Educar a criança com valores. O Exemplo

Educar a criança com valores. O Exemplo

As relações entre pais e filhos são a principal fonte de aprendizado para a criança. Por isso nosso exemplo será o ponto-chave na educação das crianças. Através do nosso comportamento, sairão os comportamentos futuros dos nossos filhos.

Educar a criança com valores. A paciência

Educar a criança com valores. A paciência

A paciência é um dos aprendizados que mais custa ensinar aos filhos, porque além de serem impacientes por natureza e quererem as coisas de forma imediata, as crianças não entendem o conceito de tempo.

Educar a criança com valores. A coerência

Educar a criança com valores. A coerência

A Coerência é um valor que se transmite com o exemplo. Os pais devem ser coerentes com o que dizem e fazem. Se existem contradições entre suas palavras e suas ações, eles estarão criando confusão e dificuldade no seio familiar.

Educar a criança com valores. A Solidariedade

Educar a criança com valores. A Solidariedade

O que a Solidariedade? Quando se diz que uma pessoa é solidária? Como é possível ensinar as crianças a serem solidárias? A solidariedade é um valor que pode ser definido como a tomada de consciência das necessidades dos outros e o desejo de contribuir.

0 comentarios