Como ajudar a criança a ter empatia

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Toda vez que o seu bebê estiver irritado, explique a ele por que você fica chateada. Quando ele chorar, explique para ele por que você fica triste. Se ele ri, faça-o entender que você sente alegria. Quando o seu bebê estiver maior, ele terá o dom da empatia. 

Um estudo da Universidade de York (Reino Unido) tem descoberto que a melhor forma de conseguir que uma criança quando estiver maior seja empática, é falar-lhe dos seus sentimentos quando ainda é bebê e durante a sua infância. Ajudar-lhe a entender o que sente em cada momento o tornará mais sensível aos sentimentos dos outros.

Ajude o seu filho a entender o que sente

como-ajudar-a-criança-ter-empatia A

Não é fácil falar de sentimentos. Nem sequer os adultos compreendem corretamente porque não podemos dominá-los. Mas, reconhecer o que sentimos em cada momento é um grande passo.

Para as crianças, este primeiro passo se torna mais complicado. Se ninguém lhe explica desde pequeno por que às vezes sente tristeza, ira ou medo, nunca poderá entender o que acontece com ele, e será muito mais difícil controlar seus impulsos.

Este estudo da Universidade de York observou a interação mediante o jogo entre mais de 40 mães com seus filhos entre 10 e 20 meses. Elas tinham que colocar palavras aos sentimentos e emoções dos seus bebês. Assim, se um bebê, por exemplo, tentava abrir a porte de um carro e ele não podia, elas diziam: ‘você se sente frustrado’. Cinco anos depois, as crianças foram submetidas a uma prova: tinham que definir o que sentiam os personagens de uma série de vinhetas, desenhos que na sua maioria falavam de mentiras, enganos, esquecimentos, piadas maldosas, sarcasmo, sarros... Todas essas emoções muito contraditórias e muito complexas. Estas crianças foram capazes de reconhecê-las. O estudo chegou à conclusão de que aprender a reconhecer nossos próprios sentimentos nos faz muito mais empáticos com todas as pessoas que nos rodeiam. 

Assim que o conselho é falar com nosso filho, desde que ainda for bebê, e consiga falar dos seus sentimentos. Falar de emoções. Ainda que você pense que não entenda.

Imagine que o seu a chupeta do seu bebê cai e ele chora desconsolado. O que você faz? Simplesmente pega a chupeta para ele e está tudo bem? Aproveite esse momento para dizer-lhe como se sente. ‘Você está chateado porque não pode recuperar a chupeta?’ Eu pego para você, assim você vai se sentir melhor?

Colocar as palavras a um sentimento não é fácil, mas muito útil. Quando o seu filho crescer, ele poderá entender por que o seu amiguinho está triste quando o vê brincando com outras crianças e não dão atenção a ele. Entender o porquê quando sente frustração por não conseguir tirar uma nota maior em uma matéria que domina. A empatia é uma das maiores virtudes com as quais poderá contar quando for maior.

Estefanía Esteban

Redatora de GuiaInfantil.com