O filho favorito

Existe favoritismo dos pais em relação a um filho?

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Este é um tema que é muito polêmico, porque nenhum pai admitirá (pelo menos diante dos seus filhos) que tem um filho favorito. Ou, pelo menos, não deveriam fazê-lo. Dizem que os filhos favoritos não existem, mas em algumas ocasiões existem pais que dizem abertamente que tem um filho favorito, algo que, sem dúvida, pode ser prejudicial para ambos os filhos, tanto para os favoritos como para os ‘não favoritos’. 

Não é algo que deva se dizer, mas ocorre, ainda que também é certo que todos os filhos se amem muitíssimo. Quando se tem um filho único, a mãe pensa que quando o irmão nascer, como é possível que se possa amar tanto a um filho como se quer ao primeiro? Sim, isso é possível.

O favoritismo nas crianças

o-filho-favorito A

O favoritismo é difícil de lidar, mas deve ser coerente, por exemplo, se a mãe pede para que um filho faça as tarefas no lugar do outro irmão, porque está doente, isso não é favoritismo. Por outro lado, quando uma criança tem que fazer as tarefas domésticas enquanto o outro brinca e não faz nada porque os pais o permitem, sem dúvida é favoritismo. Quando um filho tira boas notas e tem um prêmio, não é favoritismo, mas quando um filho não merece um prêmio e o obtém, estamos de novo diante de um favoritismo.

O favoritismo nos filho pode se manifestar de muitas outras maneiras, por exemplo, se existe uma briga entre irmãos e o pai sempre estará do lado de um irmão em particular e o outro receberá mais castigos ou repreensões, ainda que não o mereça. Os pais podem se orgulhar de um filho em particular, enquanto ao outro só recriminam suas faltas sem levar em conta suas conquistas, ou inclusive faz comparações entre eles, diante deles! 

Por que alguns pais têm filhos favoritos

Alguns motivos que podem causar favoritismos nos pais podem ser: 

1. A ordem de nascimento. O filho mais velho pode ser o mais querido por ser o primeiro ou o menor por ser o mais mimado. Às vezes os pais também podem tomar como favorito a um filho que tenha a mesma ordem de nascimento que a sua própria, devido às experiências vividas com os irmãos.

2. O gênero. Depende do gênero que os pais queiram na família. Podem escolher inconscientemente ao que desejavam na gravidez.

3. A personalidade. A personalidade também influencia no favoritismo e os pais talvez prefiram estar mais tempo com um filho sociável e talentoso do que com outro que seja rebelde ou ‘danado’. 

Que os pais tenham filhos favoritos é algo doloroso para os irmãos, por este motivo, como pais, vocês têm que ser suficientemente coerentes para poder amar os seus filhos igualmente, porque o amor no coração não se divide, se multiplica. 

María José Roldán

Psicopedagoga

Mestre em Educação Especial (Pedagogia Terapêutica)