Os irmãos de crianças especiais também têm necessidades

Irmãos de crianças com alguma deficiência

Vilma Medina

Vilma Medina

Crescer junto a um irmão é uma fonte de aprendizagem. É o primeiro vínculo intenso que se tem com um semelhante que se converterá numa relação estreita que permanecerá ao longo da vida e que determina nossa própria personalidade e a maneira que nos relacionamos com os outros.  

Estar ao lado de um irmão é um treinamento contínuo. Serve para discutir, compartilhar, brincar, jogar, negociar, ter paciência, combater a inveja, etc. Quando um dos irmãos é especial não tem por que ser necessariamente negativo, mas é um fato que pode produzir preocupação e sentimentos ambíguos nas crianças e nos pais. 

O que acontece quando um dos irmãos tem deficiência

os-irmãos-de-crianças-especiais A 

Tudo o que acontece no seu meio afeta muito as crianças. Se um dos irmãos tem necessidades especiais, isso vai influenciar na dinâmica da família. Os irmãos de uma criança com deficiência experimentam sentimentos que são difíceis de compreender pelo resto das pessoas e que à medida que passe o tempo irão evoluindo da mesma forma que vão desenvolvendo as necessidades do irmão. 

Ser criado junto a uma criança com necessidades especiais pode despertar sensações e sentimentos como: 

- Sentir-se culpado. É frequente que essas crianças pensem que tenham tido algo a ver com a doença do seu irmão. 

- Solidão e raiva. A dificuldade de compartilhar sentimentos com outros semelhantes na mesma situação ou a necessidade de mais atenção por parte dos pais são os responsáveis das emoções que aparecem ao se sentirem sozinhos, ou isolados. A família e o meio devem envolver a criança para normalizar a situação para que isso não ocorra. 

- Sentimento de medo. As crianças pequenas custam entender os motivos pelos quais seu irmão é diferente dos outros.  

- Vergonha. Esse sentimento aparece na medida em que as crianças vão crescendo. Saber que a família a que pertence não é igual a do restante dos amigos ou ter que responder a perguntas incômodas de crianças da mesma idade, etc. São situações difíceis para a criança. 

A vivência que pode experimentar uma criança com um irmão especial depende do grau e do tipo de deficiência que esse tenha. Além disso, a idade também conta. As habilidades emocionais e de amadurecimento são condicionantes da vivência que se tem da deficiência do irmão. O meio e o grau de coesão da família, como se comunicam ou ajudam uns aos outros pode facilitar ou dificultar a convivência com um irmão com necessidades. 

Como ajudar aos irmãos de crianças especiais 

Raiva, vergonha e a culpa são sentimentos que esse tipo de crianças pode experimentar, mas, se ela receber ajuda do seu meio e da família, essas crianças ganham em autonomia e crescimento pessoal. Mas, como o seu meio pode ajudar: 

- Comunicação. É importante que desde que as crianças são pequenas, os pais aprendam e usem recursos para poder informar das características da deficiência do irmão e de sua evolução. 

- Tornar a criança participante das decisões. Assim se gera segurança na criança é fundamental para combater o sentimento de medo que se gera no pequeno. Além disso, integrá-lo nas decisões faz com que a criança tenha compromisso para ajudar a entender e cuidar do seu irmão no futuro. 

- Aprender sobre o que passa. Saber sobre a origem da doença e sobre o que consiste para poder melhorar sua qualidade de vida pode se converter num projeto de vida. 

- Ajuda mútua entre iguais. É uma atividade em que se reúnem crianças com irmãos com necessidades especiais e o grupo se junta para explicar suas preocupações e medos. Conduzido por um terapeuta, o grupo trata de diferentes objetivos. 

Borja Quicios

Psicólogo educativo

O direito das crianças em receber cuidados especiais

O direito das crianças em receber cuidados especiais

Todas as crianças têm direito a receber cuidados especiais, tratamento e educação especiais, quando a sua condição e situação particular requerer. Todas as crianças que tenham algum impedimento ou dificuldade física ou mental deverão receber cuidados especializados.

Crianças com deficiência não são crianças com incapacidade

Crianças com deficiência não são crianças com incapacidade

Todo dia 3 de dezembro, desde 1992 é celebrado o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência. As Nações Unidas adotaram este dia para chamar a atenção sobre a necessidade de criar apoios para a inclusão das pessoas com deficiência na sociedade.

A sensibilidade das crianças com Síndrome de Down

A sensibilidade das crianças com Síndrome de Down

As crianças com Síndrome de Down crescem conhecendo suas limitações. Seus pais e educadores lhes preparam para que se aceitem como são, mas também para lutar para encontrar o seu lugar na sociedade e alcançar a dignidade que merecem.

O autismo e o aprendizado das crianças

O autismo e o aprendizado das crianças

As crianças com autismo devem adquirir as habilidades sociais e de comunicação que não possuem para poder se relacionar com seus semelhantes. Elas não podem aprender por imitação como as outras crianças. Estratégias específicas devem ser utilizadas para elas. O ideal é uma educação não especial, mas sim especializada, como parte de uma escola regular.

Jogos para crianças em cadeira de rodas

Jogos para crianças em cadeira de rodas

Que uma criança tenha uma deficiência motora ou esteja numa cadeira de rodas não significa que não possa brincar como as outras crianças. Brincar é um dos Direitos da Criança. As crianças com necessidades especiais também podem participar de qualquer atividade lúdica. As Paraolimpíadas mostram bem isso.

0 comentarios