5 conselhos para que a gestante se proteja do zika vírus

Como prevenir a infecção pelo zika vírus em gestantes

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

O zika vírus é transmitido através da picada do mosquito Aedes aegypti e, ainda que seus sintomas pareçam não ter muita gravidade (febre, erupção cutânea ou dores musculares), trata-se de um vírus potencialmente perigoso quando a infectada é uma mulher grávida já que está relacionado com o nascimento de bebês com microcefalia

A rápida propagação do vírus e a facilidade com que a doença é transmitida estão obrigando as gestantes que vivem em áreas onde esses insetos habitam a extremar as precauções. 

Como as gestantes podem prevenir a infecção pelo zika vírus

5-conselhos-para-que-a-gestante-proteja-zika-vírus A

O Brasil foi um dos primeiros países a detectar um elevado aumento de casos de nascimentos de bebês afetados com microcefalia, filhos de mamães que foram infectadas pelo zika vírus durante as primeiras etapas de gravidez. A microcefalia é uma infecção neurológica que faz com que o tamanho da cabeça do bebê seja muito menor do que deveria ser o padrão. 

Na falta de testes conclusivos, todos os indícios apontam que a microcefalia dos bebês está relacionada com a picada do mosquito portador do vírus nas futuras mamães, por isso as autoridades de saúde recomendam:  

- Evitar focos do mosquito em vasos de plantas, pneus, jarros, garrafas, calhas entupidas, e tudo que acumule água, uma vez que o mosquito necessita de água parada para se reproduzir e viver. 

- Aplicar-se repelente para mosquitos seguindo as instruções do fabricante. No caso de também aplicar protetor solar, aplicar o repelente por último. 

- Cobrir janelas e portas com telas protetoras e colocar um mosquiteiro sobre a cama. 

- Utilizar repelentes elétricos ou aerossóis mantendo as medidas de segurança que obrigam a deixar o quarto ventilado. 

- Utilizar preservativos para evitar o contágio por via sexual.

- A maior parte dos médicos aconselha continuar com o aleitamento, já que não acreditam que o bebê possa se contaminar por esta via. Em todo o caso, aconselha-se consultar um pediatra. 

Já que não existe vacina preventiva, o principal conselho dos especialistas é a prevenção da picada. E, ainda que as autoridades de saúde resistam em alarmar socialmente, em alguns países já estão estendendo a recomendação de que as mulheres grávidas não viajem para áreas com transmissão do zika vírus e que até mesmo evitem gravidezes neste momento. 

Alba Caraballo

Editora de GuiaInfantil.com