As 4 doenças que transmite o mosquito Aedes aegypti

Diferença entre zika vírus, febre amarela, dengue e chikungunya

Vilma Medina

Vilma Medina

O Aedes aegypti é um mosquito diminuto de apenas 7 milímetros, mas é capaz de transmitir numerosas doenças diferentes, entre elas se destacam estas quatro: a dengue, o zika vírus, a febre amarela e a chikungunya. 

As quatro são doenças distintas, ainda que em algumas delas os sintomas possam ser semelhantes, pelo menos no princípio. A doença que se desenvolve depende do vírus que o mosquito carrega. Evidentemente, nem todos os mosquitos dessa espécie estão infectados. A gente te conta como é cada uma dessas doenças e quais são os seus sintomas. 

Sintomas das doenças que transmite o Aedes aegypti

as-4-doenças-que-transmite-aedes-aegypti A 

1. O zika vírus: Após a picada do mosquito, a doença pode ou não se desenvolver. Os sintomas são febre, erupções avermelhadas em todo o corpo, conjuntivite (algo que não acontece nas outras doenças), mal estar geral, artrite nas mãos e pés. Também podem acontecer, em alguns casos, diarréia e dor nos olhos. Os sintomas desaparecem em 5 – 7 dias e não deixa de ser uma doença leve em adultos quando não se trata de uma gestante. Neste caso, os efeitos podem recair no feto. Estuda-se a relação entre o aumento de bebês com microcefalia nas áreas afetadas pelo zika vírus. O vírus, cuja origem é Uganda (África) cruzou o continente americano e já se converteu num pesadelo, sobretudo em países como o Brasil e Colômbia, onde o zika vírus já pode ser considerado uma epidemia. 

2. A dengue: Essa doença transmitida pelo mesmo mosquito manifesta alguns sintomas muito similares aos do zika vírus. No início aparecem febre e dores musculares. No entanto, no caso da dengue a febre é muito alta e as dores nas articulações muito fortes, quase insuportáveis em alguns casos. Entre seus sintomas se encontram náuseas e vômitos, dores muito fortes de cabeça e uma dor localizada atrás dos globos oculares. Atualmente se pesquisa uma vacina de uma doença que milhões de pessoas sofrem em todo o mundo e que, em muitos casos pode ser fatal, como a dengue hemorrágica. 

3. A chikungunya: As dores que aparecem na chikungunya são consideradas insuportáveis. De fato, o seu nome vem de uma palavra africana que significa ‘dobrar-se de dor’. Os primeiros sintomas chegam uns 3 ou 7 dias depois da picada. Além dessas terríveis dores nas articulações, também acontecem náuseas, febre alta e erupções cutâneas em forma de brotoejas de cor púrpura que coçam muito. A diferença das outras três doenças é que os gânglios linfáticos se inflamam e pode sangrar o nariz. O mal desse vírus é que seus efeitos duram meses, inclusive pode se converter em dores crônicas nas articulações. Este vírus também se encontra já em alguns países sul americanos. No momento não existe vacina para esta doença

4. Febre amarela: Esta doença afeta, sobretudo países da África, América Central e América do Sul. Os sintomas levam o paciente a sofrer febre, dores nas costas, calafrios, cefaléias, náuseas e perda de apetite. Se a doença se agravar pode aparecer icterícia e vômitos e sangramentos internos e das mucosas. Para esta doença já existe vacina. Orienta-se que as pessoas que quiserem viajar para áreas com grande ocorrência da febre amarela que toma a vacina pelo menos 10 dias antes da viagem. 

Estefanía Esteban

Redatora de GuiaInfantil.com

A Microcefalia no Brasil

A Microcefalia no Brasil

A Microcefalia se caracteriza por uma cabeça e um cérebro menor do que o considerado padrão (médio) e geralmente é causada por uma falha no desenvolvimento do cérebro, que pode estar associado a síndromes genéticas ou por outras causas como o uso de drogas e álcool durante a gravidez e ainda por infecção da grávida por: meningite, intoxicação por cobre ou mercúrio, má nutrição, toxoplasmose, catapora, citomegalovírus e rubéola.

O zika vírus está relacionado à epidemia de Microcefalia em bebês

O zika vírus está relacionado à epidemia de Microcefalia em bebês

Estudos feitos pelo Instituto Evandro Chagas identificaram a presença do zika vírus, transmitido pelo Aedes aegypti (o mesmo mosquito que transmite a dengue e a chikungunya), em exames em uma criança do Ceará que nasceu com microcefalia e outras doenças congênitas.

Zika vírus e as crianças

Zika vírus e as crianças

O zika vírus, assim como a dengue e a chikungunya, é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, e os sintomas mais comuns são: manchas pelo corpo, coceira, febre, conjuntivite e dores nas articulações. O nome ‘zika’ é devido ao nome da floresta africana aonde foi identificado.

O zika vírus causa microcefalia em recém-nascidos

O zika vírus causa microcefalia em recém-nascidos

O Brasil é um dos países onde mais tem aumentado o número de casos de microcefalia, e já são mais de 3.500 casos relacionados com o zika vírus entre outubro de 2015 e janeiro de 2016, por isso as autoridades alertam às mamães gestantes para que sejam extremadas nas medidas de precaução contra a picada do mosquito Aedes Aegypti, que é o transmissor não apenas do zika vírus, mas também da dengue e chikungunya.

Zika vírus. O que é e como acontece o contágio

Zika vírus. O que é e como acontece o contágio

O zika vírus é um vírus transmitido por um mosquito que vive em zonas tropicais. Chama-se assim porque o primeiro caso reconhecido desse vírus se localizou nos bosques de Zika, em Uganda (África) em 1947. O vírus se estendeu a outros continentes. Em 2015 se deu o primeiro caso de zika vírus na América do sul. Especificamente foi em Salvador (Bahia). Em vista do alarmante aumento de casos no país, o zika foi catalogado rapidamente como epidemia.

0 comentarios