Os contraceptivos durante o pós-parto

Quais métodos contraceptivos podem ser utilizados durante o pós-parto

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Muitas das consultas que os médicos recebem são referentes aos métodos contraceptivos que podem ser utilizados no pós-parto, suas vantagens e desvantagens. 

Popularmente ainda existe a crença popular que durante os primeiros 40 dias – a famosa quarentena – não se deve manter relações sexuais com penetração. Hoje em dia, recomenda-se que o tempo de abstinência seja durante o tempo em que a mulher ejete lóquios. Posteriormente não será necessário. Mas, se você quiser evitar uma gravidez, será necessário levar em conta se você está dando o peito ou quanto tempo tenha passado desde o parto

Tipos de contraceptivos a serem utilizados durante o pós-parto

os-contraceptivos-no-pós-parto A 

Aqui você tem uma série de métodos contraceptivos. Sua utilização ou não dependerá de vários fatores:

1. Preservativo masculino/feminino:

Não existe nenhum problema. Se você estiver amamentando, pode ser que note uma maior secura vaginal. Avalie a utilização de um lubrificante que seja compatível com o material de que é feito o preservativo.

 2. Contraceptivos hormonais:

Em geral, nenhum método hormonal está recomendado nas primeiras 6 semanas pós-parto, se estiver amamentando. Posteriormente a essas seis semanas, só se recomenda não utilizar a pílula combinada, até que não tenha passado os primeiros seis meses pós-parto.

No caso em que não esteja amamentando, você pode utilizar qualquer método contraceptivo hormonal a qualquer momento, salvo a pílula combinada, que está contra-indicada nos primeiros 21 dias. 

3. DIU:

Dependerá se o DIU tem carga hormonal ou não. Se não a tem, pode ser inserido nas primeiras 48 horas pós-parto. Ambos DIU podem começar a ser utilizados a partir das 4 semanas pós-parto. 

4. Método de Amenorréia Lactacional (LAM):

Baseia-se em que os níveis de prolactina que a mulher produz no aleitamento materno exclusivo que evitem a ovulação. Para que o método seja efetivo:

- O bebê deve ter menos de 6 meses.

- A mãe deve continuar sem menstruação (amenorréia). 

- Amamentação exclusiva.

Para qualquer dúvida, a mamãe deve procurar o médico para avaliar qual o método mais recomendável para a mulher.

Julita Fernández

Matrona

Professora de Dança Oriental para gestantes

Especialista em treinamento aquático para gestantes