Sexo na gravidez

As relações sexuais não prejudicam o bebê em desenvolvimento quando se trata de gravidezes normais

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

As gestantes que se encontram nas primeiras semanas de gravidez se preocupam em saber se as relações sexuais com seu companheiro podem causar danos ao bebê. No caso de gravidezes normais, a penetração não causa nenhum dano ao feto, já que está protegido no útero materno e rodeado de líquido amniótico. O tampão mucoso, por sua vez, impede a entrada de bactérias ou germes do exterior e mantém o colo do útero vedado. 

As relações sexuais na gravidez

sexo-na-gravidez A 

As contrações que o orgasmo produz tão pouco incidem sobre o bebê nem lhe causam dano algum. São diferentes das contrações do parto. No entanto, no final da gestação, quando já tenha cumprido a data e o bebê ainda não tenha nascido, alguns médicos aconselham as relações sexuais já que estimula as contrações e favorece que o parto seja desencadeado. 

Por outro lado, nas gravidezes de risco por ameaça de aborto ou parto prematuro, os especialistas recomendam não praticar o coito. Outras causas pelas quais o médico pode desaconselhar o sexo na gravidez são: sangramento vaginal, antecedentes de abortos espontâneos, placenta prévia, gravidez múltipla, incompetência do colo do útero, sinais de rompimento da bolsa ou contrações dolorosas depois da penetração. 

Depois de uma amniocentese se recomenda às mulheres que parem com a sua atividade sexual durante alguns dias e que permaneçam em repouso. 

Se o médico te recomenda não manter relações sexuais durante a gravidez, você deve saber que não se refere somente ao coito, mas a todo estímulo que uma excitação sexual ou um orgasmo possa produzir. 

O desejo sexual durante a gestação 

A libido pode mudar ao longo dos trimestres da gravidez. Durante o primeiro trimestre, muitas mulheres rejeitam ter relações sexuais, não apenas pelos incômodos nas primeiras semanas de gestação: cansaço, sono, vômitos ou tonturas, mas também porque notam uma queda no apetite sexual. 

O segundo trimestre de gravidez pode ser o de maior atividade sexual nas gestantes. Muitas falam de um aumento na libido e vontade de renovar as relações sexuais com seu companheiro. 

No terceiro trimestre volta a cair a atividade sexual pelo incômodo do próprio volume da barriga da mulher, além da fadiga e cansaço que voltam a aparecer nessa etapa da gravidez. 

As posições do sexo durante a gravidez 

Em geral, a posição do missionário será a mais incômoda para a mulher e a menos adequada, já que não é conveniente que o peso do companheiro caia sobre o corpo dela. 

A maior parte das gestantes diz que a posição de ‘conchinha’ ou de lado é a mais cômoda para elas. Em todo caso, qualquer posição é válida sempre que a mulher se sinta cômoda. 

Uma boa comunicação entre o casal será benéfico para tratar as mudanças que a gravidez possa produzir nas relações sexuais

Alba Caraballo

Editora de GuiaInfantil.com