Por que algumas gestantes desenvolvem o diabetes

Como o diabetes gestacional afeta o bebê e a grávida

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Os hormônios da gravidez favorecem com que o metabolismo dos açucares se modifique para que não faltem nutrientes nem para a mãe nem para o bebê. Em ocasiões estas modificações chegam a produzir um desequilíbrio importante neles mesmos fazendo com que o nível de açúcar no sangue aumente de maneira inadequada. 

Quando se dá um desequilíbrio desse tipo pode se gerar o diabetes. Mas, na maioria dos casos, é um diabetes ligado à gravidez, que desaparece após o bebê nascer. 

Como se detecta o diabetes na gestante

por-que-algumas-gestantes-desenvolvem-diabetes A

É muito importante detectar essa situação de maneira precoce, já que pode ser muito prejudicial tanto para a mãe como para o bebê. Durante a gravidez são realizados diferentes exames a respeito. O primeiro exame é o teste de O’Sullivan, que é realizado entre a semana 24-28 naquelas mulheres que não tem fatores de risco. Neste exame se realizam duas coletas de sangue, uma em jejum e outra, 60 minutos após ter ingerido 50 g de glicose. Se o resultado desse exame não der normal seria realizado outro exame a mais, o Teste oral de tolerância à glicose (ou curva glicêmica); e, dependendo do resultado poderia ser diagnosticado diabetes gestacional.  

Para aquelas mulheres que têm fatores de risco, o exame é realizado antes, no primeiro trimestre de gravidez. Os fatores de risco mais frequentes pelos quais se recomenda realizar o exame no primeiro trimestre de gravidez, são: 

- Sobrepeso prévio à gravidez.

- A gestante tiver familiares em primeiro grau diabéticos (pais ou irmãos, fundamentalmente, já que essa doença tem um importante fator hereditário). 

- A gestante teve diabetes em alguma gravidez anterior.

- Trata-se de uma gestante de mais de 40 anos (a probabilidade de diabetes gestacional aumenta). 

- Mulheres com abortos de repetição. 

- Gravidezes anteriores com bebês acima dos 4 Kg de peso. 

Como o diabetes gestacional afeta o bebê

Para o bebê, um nível inadequadamente elevado de açúcar no sangue materno pode produzir

- Más formações cardíacas

- Alterações na maturidade dos pulmões. 

- Peso elevado – com suas consequências na hora do parto – entre muitas outras.

Se o controle de glicemia for adequado, a probabilidade de ter complicações se minimiza. 

Verdades e mitos sobre o diabetes gestacional 

- As mães que têm diabetes gestacional também são acompanhadas pelo médico após ter dado a luz, já que têm mais risco de desenvolver diabetes no futuro.

- No entanto, é importante desmistificar a crença errônea de que o diabetes gestacional produz diabetes nos bebês. O diabetes gestacional não é transmissível.

- Para o tratamento dessa patologia se utiliza fundamentalmente a dieta e se com isso não se controlar, terá que fazer o uso da insulina. A prática de uma atividade física, como, por exemplo, caminhar com assiduidade tem demonstrado ter muita utilidade para o controle adequado das cifras de açúcar.

Julita Fernández

Matrona e Professora de Dança Oriental para gestantes