A obesidade, uma má companheira na gravidez

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A obesidade é uma carga pesada que afeta negativamente a gestação. Diversos estudos têm demonstrado que a obesidade influencia negativamente na fertilidade da mulher, até o ponto em que as mulheres obesas tenham dificuldade para conseguir uma gravidez. Mas, além disso, um recente estudo tem demonstrado que um controle de peso é muito importante nas primeiras etapas da gravidez.

Os benefícios de enfrentar uma gravidez com um peso saudável, e mantê-lo durante toda a gestação não apenas favorece a saúde da mamãe, mas também, mais além vai proteger a saúde do bebê. Enfrentar uma gravidez com ótimos níveis de peso significa que o bebê terá mais possibilidades de começar a vida com saúde. O estudo tem demonstrado que um peso saudável na gravidez protege o bebê de doenças crônicas, como a obesidade, o diabetes, o colesterol elevado e outras doenças do metabolismo. 

Diabetes e obesidade na gravidez

a-obesidade-uma-má-companheira-gravidez A

Atualmente, a obesidade, unida ao diabetes tem se convertido em uma das pandemias do século em todo o mundo, e o curioso é que está afetando diretamente a nossa capacidade reprodutora e aos bebês que iremos trazer ao mundo. Influencia na esperança de vida da população em geral, porque obesidade e diabetes estão associadas a riscos cardiovasculares e incidem na qualidade de vida de muitas pessoas no mundo. 

Trazer um bebê sadio ao mundo é a maior preocupação das mães. É necessário se conscientizar de que a dieta é um fator crucial para uma gravidez saudável e para a prevenção de possíveis doenças no bebê. Os hábitos alimentares da mãe durante a gestação são responsáveis tanto pelo baixo peso do bebê ao nascer como do excesso de peso e tamanho dos bebês no momento do parto.

Enquanto uma alimentação deficiente pode ocasionar problemas nutricionais no bebê, e afetar o seu desenvolvimento e produzir baixo peso ao nascer, uma alimentação exagerada pode ser a responsável por bebês muito grandes, um risco que as gestantes com diabetes correm. Os lactentes que nascem de mães obesas e de mães diabéticas são maiores, pesam mais do que o normal ao nascer e têm um maior risco de desenvolver transtornos do metabolismo, como a resistência à insulina, uma das causas do diabetes, de acordo com este estudo. 

Os bebês lactentes, que são grandes para a sua idade gestacional recebem demasiadamente quantidade de açúcar durante a gravidez devido aos níveis elevados de açúcar das suas mães. O pâncreas do bebê detecta os níveis elevados de açúcar e produz mais insulina tentando utilizar todo o açúcar extra. O açúcar extra se converte em gordura e o resultado é um bebê grande. Por outro lado, o conteúdo de gordura no corpo do bebê é um forte indicador de uma nutrição pobre ou incorreta durante a gravidez. 

Pela boa saúde do seu bebê e pela sua própria, a futura mamãe deve comer somente o que necessite, sem exageros. Uma dieta sadia e equilibrada, com abundância de frutas e verduras, rica em proteínas de alto valor biológico e hidratos de carbono e pobre em gorduras é o mais indicado para a gravidez. E não se esqueça de praticar alguma atividade física diariamente. A caminhada, natação, praticar ioga ou Pilates são as atividades mais indicadas para o seu estado e te ajudará a queimar todas as calorias que sobram. 

Marisol Nuevo

Redatora de Guiainfantil.com