A gravidez e a osteoporose

A doença, em geral, ocorre no terceiro trimestre da primeira gestação ou após o parto. É temporária e rara

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

De acordo com estudo divulgado no dia 16/12/2013, pela Abrasso (Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo), uma em cada três mulheres brasileiras vai desenvolver a Osteoporose, doença que deixa os ossos mais fracos. Nessa pesquisa o principal fator é a ingestão insuficiente de cálcio, presente principalmente em leite e derivados. A pesquisa mostra que 90% das mulheres brasileiras não consomem quantidade ideal de cálcio.

Osteoporose se caracteriza pela diminuição progressiva da densidade óssea e isso aumenta o risco de fraturas, principalmente após a menopausa.

Realmente o nível de cálcio no organismo é menor após a menopausa, mas sua incidência não está relacionada a essa fase. A prevenção da osteoporose deve ser durante toda a vida. Algumas atividades do dia a dia ajudam nessa prevenção, como exposição à luz solar (evitar o sol após as 10 horas) por 15 minutos diariamente, ingestão de vitamina D, evitar o sedentarismo, tabagismo, álcool, ter hábitos saudáveis e praticar alguma atividade física. Mas a principal causa é que as mulheres não consomem a quantidade de cálcio, presente principalmente em leite e derivados. 

Ainda de acordo com a pesquisa da Abrasso, cerca de 10 milhões de brasileiros sofrem com a osteoporose. 

A osteoporose pode acometer homens e mulheres, mas as mulheres são mais suscetíveis após a menopausa por causa da queda na produção do estrógeno. 

A Abrasso indica a prevenção desde a infância, com uma alimentação adequada, rica em cálcio. Por ser silenciosa, a doença, que não causa dor, na maioria das vezes só é descoberta após a primeira fratura. 

A gravidez e a osteoporose 

A doença, em geral, ocorre no terceiro trimestre da primeira gestação ou após o parto. É temporária e não costuma acontecer outras vezes. Como não é comum, o diagnóstico só é feito quando a mulher tem muitas dores nas costas ou quando ocorre alguma fratura vertebral. 

A causa dessa osteoporose ainda não está totalmente esclarecida, e é muitas vezes relacionada com outras doenças ou ligada a fatores genéticos e uso de corticoides. 

Em gravidezes normais existe maior solicitação de cálcio, e as grávidas podem ter mais perda de cálcio pelo aumento do número de vezes que urinam.

A associação da gravidez com a osteoporose é considerada uma alteração rara. 

Embora a densidade óssea possa ser perdida durante a amamentação, essa perda tende a ser temporária. Muitos estudos mostram que quando as mulheres têm perda óssea durante o período de amamentação, as mulheres recuperam a densidade óssea total no prazo de seis meses após o desmame.

Fatores de risco da Osteoporose

•Mulheres e homens asiáticos correm mais risco de sofrer fraturas pela osteoporose, por um problema anatômico no fêmur

•Histórico familiar de osteoporose

•Pessoas com deficiência na produção de hormônios 

•Pessoas que tomam medicamentos à base de cortisona

•Tabagismo

•Sedentarismo ou pouca atividade física

•Baixa ingestão de cálcio e vitamina D

•Baixa exposição solar

•Alcoolismo

•Algumas doenças reumatológicas, endócrinas e hepáticas

•Imobilização

•Ausência de períodos menstruais (amenorreia) por longo período

•Pessoas de pele branca, baixas e magras 

•Certos tipos de câncer

Fontes consultadas:

Abrasso

Osteoclube

Drauzio Varella