Como viver a Semana Santa com as crianças

Os valores que devem ser vividos durante a semana santa em uma família

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Tudo bem, a Semana Santa nos brinda com dias maravilhosos de férias para fugirmos da rotina, desfrutar em família, fazer coisas diferentes e sair das nossas cidades... As crianças estão livres da escola e a gente aproveita esses dias para fazer atividades que em outras datas a gente não pode. No entanto, muitas vezes só pensamos em férias e nos esquecemos do verdadeiro significado da Semana Santa.

Sejamos religiosos ou não, creiamos em Deus ou não, vivamos o catolicismo ou não... Podemos tomar o significado da Páscoa para viver uma Semana Santa em família de forma diferente e enriquecedora. 

7 bons hábitos de convivência em família durante a Páscoa

semana santa em família

Tomemos o verdadeiro significado da Semana Santa: é o momento da ressurreição, de voltar a nascer, de se renovar, de voltar a começar. Por que não utilizamos essa idéia para a nossa própria família? A gente propõe a seguir alguns bons hábitos e propósitos para viver e conviver em família renovando as intenções e os comportamentos: 

1 – Não gritar com as crianças: O dia a dia, o nervosismo, o estresse e a correria nos levam a gritar com as crianças ou a repreendê-las em excesso. Que tal respirarmos, contar até 10 antes de ter uma reação exagerada. 

2 – Ensinar e aprender a pedir perdão: Não somente as crianças, mas também os adultos. Todos nós nos equivocamos e aprender a reconhecer os erros, a pedir perdão, e a expressá-los nos ajudará a 'zerar' os conflitos do dia a dia e recomeçar da forma certa. 

3 – Evitar as brigas: Os problemas entre irmãos surgem por coisas mínimas, mas se não enfrentarmos os problemas eles podem se tornar grandes e, em alguns casos, irreconciliáveis. Que tal ensinarmos as crianças a ser bons irmãos e a se amarem apesar de que em alguma ocasião haja alguma briga. 

4 – Saber compartilhar: Quantos conflitos a gente evitaria se deixássemos de lado o egoísmo e aprendêssemos a compartilhar nossas coisas e nosso tempo com os outros. 

5 – Ser agradecidos: Se pensar bem, agradecer não custa nada. É fácil, mas se esse costume não for adquirido desde a infância acaba se tornando um hábito estranho. 

6 – Dedicar mais tempo de qualidade para a família: Conciliar nem sempre é fácil, mas todos nós podemos arranjar uns minutos ou um tempo determinado da semana de qualidade e que seja exclusivo para desfrutar pais e filhos juntos. 

7 – Escutar mais aos filhos: As crianças têm tantas coisas que dizer que às vezes no deixam um pouco loucos e talvez a gente não dê tanta atenção que elas merecem. Seria bom renovar nossa paciência e deixar com que nossos filhos se expressem. É a base para a comunicação futura afetiva e de confiança. 

Alba Caraballo
Guiainfantil.com