4 palavras que te ajudarão a estimular o vínculo com os seus filhos

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Como podemos ser firmes na educação dos filhos e incentivar o vínculo ao mesmo tempo? Em ocasiões, estamos tão concentrados em tentar que as crianças aprendam as normas e os limites que impomos, que nos esquecemos de desfrutar e incentivar o afeto e a conexão com nossos filhos.

O que quero dizer é que às vezes pesa mais o lado da balança em repreender, brigar, ensinar ou instruir e menos o de estimular a união e o carinho entre pais e filhos. A palavra inglesa HELP cuja tradução é ‘ajuda, socorro’, pode nos servir nesta questão. Como?

Como acalmar, conectar e nos comunicarmos com nossos bebês4-palavras-que-ajudarão-estimular-vínculo A 

O livro ‘Secrets of the Baby Whisperer for Toddlers’ de Tracy Hogg e Melinda Blau fala de um método que pode nos ajudar a permanecermos firmes na educação enquanto incentivamos o vínculo com os nossos filhos. Com ele, as autoras nos dão dicas sobre como nossos bebês podem fazer parte da nossa família ao invés de dominá-la. Baseia-se no acróstico H.E.L.P. Cada uma dessas palavras tenta nos dar pistas de como acalmar, conectar e nos comunicarmos com nossos filhos: 

1 – Hold back (conter-se, segurar ou aguentar): Se refere a funcionar como um ‘cofre de informações’. Devemos entender quem e como é o nosso filho. Temos que compreendê-lo, saber quais suas necessidades, escutá-lo, olhá-lo... Em resumo, observá-lo e conhecê-lo.

2 – Explore (explorar): as autoras nos animam a que incentivemos nossos bebês a explorar novas situações, a conhecer idéias novas, diferentes, aproximá-los das pessoas e deixar que essa exploração se realize por si mesma. Sempre, é claro, sob nossa supervisão.

3 – Limit (limite): estabelecer limites é básico desde as primeiras etapas de formação. Com elas se afirma o papel do pai e da mãe. A autoridade, não o autoritarismo, deve ser nossa e não o bebê dominar tudo ao redor e situações.

4 – Praise (louvor): podemos e devemos elogiar nossos filhos. Com o elogio, sempre que não seja desmedido e pouco realista, estamos reforçando o aprendizado do bebê, melhoramos sua autoestima, os animamos para que o seu comportamento seja positivo e abrimos uma porta para que a criança se mostre receptiva ao que dizemos. 

Alba Caraballo

Editora de GuiaInfantil.com