Como educar o cérebro das crianças

O que é Neuroeducação infantil

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A Neuroeducação infantil é uma disciplina recente que agrupa conhecimentos neurocientíficos, psicológicos e educativos, que trata de aproximar aos pais e educadores conhecimentos sobre como funciona o cérebro das crianças e como o meio que os rodeia facilita ou dificulta seu desenvolvimento, para assim poder potencializar o seu processo de aprendizagem e diminuir os fatores de risco.

Neste sentido, os pais têm um papel fundamental de proporcionar às crianças recursos adequados para o seu aprendizado e se conhecerem como o cérebro funciona podem ajudar de um modo mais eficaz o seu desenvolvimento integral.

Em que consiste a Neuroeducação infantil

como-educar-o-cérebro-das-crianças A

Os estudos científicos demonstram que a primeira infância (desde o nascimento até os seis anos) é uma etapa crucial que requer alguns cuidados e de algumas experiências essenciais que permitam construir no cérebro infantil pilares sólidos para um adequado ensino futuro:

- Nutrição: O cérebro das crianças requer uma dieta equilibrada para cumprir com as funções cerebrais essenciais e a desnutrição provoca atrasos no desenvolvimento motor e cognitivo como a falta de atenção ou pobre capacidade de memória, o que afeta a capacidade de aprendizagem.

- Sono:As crianças devem dormir as horas indicadas para a sua idade, já que o sono permite o fortalecimento e consolidação dos aprendizados realizados durante o dia na memória em longo prazo e mantém os níveis de atenção durante o dia. 

- Exercício físico: As crianças devem realizar exercício físico de forma habitual, especialmente exercício aeróbico, já que melhora o rendimento cognitivo ao provocar modificações na estrutura e funcionalidade do seu cérebro que facilitam os aprendizados. 

- Curiosidade: O aprendizado nos primeiros anos de vida deve ser espontâneo, lúdico e prazeroso, já que é ativado pela curiosidade da criança. É quando se ativa também a atenção e facilita a aquisição e consolidação das coisas aprendidas. Uma forma de aprender através da curiosidade são as brincadeiras, de modo que é imprescindível que todas as crianças tenham tempo livre para brincar e se divertir aprendendo.

- Experimentar: Até os seis anos de idade, as crianças têm um pensamento muito concreto e aprendem através do movimento, de percepções e de sensações, além do que são as primeiras áreas do cérebro a se desenvolver. Por isso, as crianças precisam interagir e experimentar diretamente com aquilo que se estão lhe ensinando.

- Novas tecnologias: O uso das novas tecnologias (televisão, tablets, smartphones, videogames, computadores) por parte das crianças tem efeitos positivos e pode facilitar o aprendizado quando utilizados de forma moderada (por exemplo, 15 minutos por dia), já que otimiza a ativação das áreas do cérebro que se encarregam da atenção, da memória, do planejamento, do raciocínio e da tomada de decisões ou a auto-regulação emocional. 

- Normas: As crianças devem ter normas desde muito pequenas, já que lhe permite saber como agir e aprendem a antecipar consequências, facilitando o seu aprendizado. 

- Afeto: O vínculo afetivo, desde o nascimento, permite a criança se adaptar ao seu meio, controlar sua frustração, confiar em si mesma e buscar autonomia. Fatores imprescindíveis para o aprendizado. 

- Aprendizagem por observação: Durante os primeiros anos de vida, a maior parte dos aprendizados que as crianças realizam é produzida pela observação, de modo que os adultos têm que agir como modelo para elas, já que as crianças aprendem deles suas habilidades cognitivas, sociais e emocionais

Aroa Caminero

Psicóloga

Centro de Psicología Álava Reyes