Não se deve obrigar a criança a cumprimentar os outros

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

O costume que muitos pais têm em obrigar a que seus filhos cumprimentem aos demais quando chegam a algum lugar ou quando alguém chega a casa não é uma boa segundo os olhos de alguns especialistas. Dizem que é uma reação lógica de crianças tímidas e inibidas e que elas devem aprender a cumprimentar somente com o exemplo dos seus pais

O cumprimento das crianças

não-se-deve-obrigar-criança-cumprimentar A 

Na minha casa temos um costume. Cada vez que alguém da família vem a casa, sempre a recebemos à porta incluindo o cachorro que aparece sem que o convidemos. A mim, particularmente me parece maravilhoso que te esperem, que te abram a porta e que perceba que é bem vindo. O cumprimento inicial é importante na minha casa. Não o fazemos somente por uma questão de educação, mas porque consideramos que é um gesto de respeito, carinho e de atenção aos demais.  

No entanto, o fato de que a gente o faça não quer dizer que os demais também devam fazer. Cada caso e cada casa ou família é um caso. O cumprimento sempre é uma norma de convivência básica. Sempre me ensinaram a cumprimentar a todos, sem discriminação. Vizinhos, parentes e amigos. 

Penso que temos que respeitar as crianças quando estas sentem uma possível timidez ou inibição, mas sem dúvida acredito que os pais devem ensiná-las que a saudação é algo tão necessário como escovar os dentes pela manhã. Esse tipo de regra se aprende quando ainda a criança é bem pequena. Mas, hoje nem todas as crianças consideram prazerosa a aproximação física ou cumprimentar a alguém.  

Ao desconhecido há que ignorá-lo. Os especialistas em sexualidade infantil vão mais além. Dizem que as crianças que têm essa negativa ao saudar é porque se trata do seu puder e da sua intimidade, não de má educação. Respeitar esse comportamento favorecerá com a sua futura sexualidade. Serão mais livres para escolher. Como você vê isso? 

Vilma Medina

Diretora de GuiaInfantil.com