Como a criança se sente quando os seus pais discutem

As crianças percebem quando os pais discutem e se sentem mal

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Há algum tempo li uma notícia que fez minha cabeça dar voltas. A Polícia local de Murcia, Espanha, deteve um casal por estarem se agredindo mutuamente dentro de um carro em movimento, na presença dos seus dois filhos, de 3 e 5 anos de idade. A primeira coisa que passou pela minha cabeça foi questionar como aquelas crianças estavam se sentindo. Como as crianças interiorizam as brigas e discussões dos seus pais?

Como as brigas dos pais afetam as crianças

O que sentem os filhos quando os pais brigam 

Você sabe o que uma criança sente quando seus pais discutem? Os gritos e as palavras cheias de rancor que os pais utilizam nas suas discussões podem assustar e prejudicar muito aos pequenos. Ainda que você não perceba, as crianças se preocupam até quando seus pais, devido a alguma discordância, deixam de se falar. Vocês se lembram do Nadador Michael Phelps, recordista de medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos? Em uma das suas entrevistas, ele revelou que foram as brigas dos seus pais que o levaram a nadar. 

Para não escutar os gritos e as brigas dos seus pais, ele pulava e mergulhava na piscina da sua casa, e nadava até que seus pais se acalmarem. Anos depois os seus pais se separaram. As crianças podem tirar conclusões erradas e precipitadas dos conflitos dos seus pais. 

Quando os pais discutem

Quando os pais se mostram alterados e fora de controle por algum assunto relacionado a elas, as crianças podem se sentir culpadas pela discussão. Podem até pensar que seus pais vão se divorciar, se entristecem, choram e isso pode fazer até que tenha dores de cabeça, dificuldade para conciliar o sono e a não querer ir à escola.

Por outro lado, isso não quer dizer que os pais não possam discutir. Não existem famílias perfeitas. Inclusive nos lares mais felizes podem surgir problemas e discussões. No entanto, como tudo, deve haver um limite, para evitar que uma simples discórdia não vá longe demais e cheguem aos gritos, insultos ou à violência

É importante que as crianças saibam que as opiniões podem se chocar em algum momento, mas que isso não significa que tudo vai acabar. Pode até ser o início de uma conversa com elas. Se, alguma vez, durante uma discussão, vocês ultrapassaram os limites diante dos seus filhos, peça perdão a eles. Explique a eles que isso não vai voltar a acontecer e que vocês os amam muito. 

Vilma Medina
Diretora de GuiaInfantil.com