O bom e o ruim de estar grávida

Vilma Medina

Vilma Medina

Se tivéssemos que colocar numa balança o bom e o ruim de estar grávida acabaríamos com um bom número de coisas de ambos os lados, ainda que sem dúvida todas nós concordaríamos que, mesmo em igualdade de condições sempre pesa mais o lado bom. 

A gravidez é um momento de alterações surpreendente, tanto físico como anímicos. A natureza dotou a mulher de uma capacidade assombrosa de transformação, mas essa disposição natural não nos livra de algum inconveniente no caminho...  

Vantagens e desvantagens de estar grávida

o-bom-e-o-ruim-de-estar-grávida A

Numa gravidez normal a gente pode enfrentar alguns incômodos tanto físicos como emocionais. São muito frequentes os ajustes hormonais que podem provocar náuseas matutinas, indigestão, aversões ou enjôos de alimentos, alterações no olfato, na pela e tantas coisas mais. Com o avanço da nossa gravidez alguns sintomas desaparecerão e outros persistirão, mas não se prolongarão muito além do parto (alguma estria ficará como uma medalha de honra por ser mãe). 

As alterações hormonais são também muito importantes. É evidente que a gente deve enfrentar gradualmente a uma nova imagem (ainda seja preciosa nossa curvatura abdominal), a sentimentos de insegurança sobre se seremos capazes de educar ao nosso filho, a preocupação sobre a saúde do bebê ou a nossa, a incógnita de se poderemos suportar a dor do parto... Certos momentos a gente vai se sentir frustrada, agoniada ou irascível, nada mais. 

Quando a gravidez é desejada e recebida com alegria, sem dúvida, os momentos mais gratificantes nos fazem superar os inconvenientes da nossa gestação. Em pouco tempo nossa barriga começa a crescer e olhamos no espelho e ela já se mostra orgulhosa; a gente protege a nossa barriga diante de qualquer susto; desfrutamos de momentos relaxantes e prazerosos com os chutes do bebê, e junto com seu parceiro tentaram adivinhar que parte do corpo era aquele ‘nódulo’ que aparecia na barriga; conversou com seu bebê e já escolheu o seu nome... 

Por outro lado, o parto é um dos momentos mais emocionantes para a vida da mulher. Ver o nosso filho e senti-lo nos nossos braços é absolutamente inesquecível. Faz com que a gente se sinta participante de algo sobrenatural, algo que transcende tudo, do qual fazemos parte como protagonistas junto com nosso filho ou filha. Sem dúvida, a gravidez implica em certos incômodos (em alguns casos, muitos), numerosas alterações orgânicas, e vai nos exigir uma grande capacidade de adaptação e de maturidade, mas o fruto de tudo isso é inigualável. É uma das experiências mais emocionantes e comovedoras para os futuros pais. O importante é se sentir alegre e desfrutar da sua gravidez ao máximo, pois estará transmitindo ao seu filho esse sentimento de gozo que você está sentindo, ainda que tenha mais de um incômodo pelo seu novo estado.  

Patro Gabaldón

Ser mãe. O que é?

Ser mãe. O que é?

Ser mãe. O que implica ser mãe. Ser mãe é ter a valentia dos guerreiros e um instinto protetor como de uma verdadeira guardiã. É ter um amor incondicional por alguém que ainda não conhecemos bem, mas que já ocupa o lugar mais importante na nossa vida.

Ser mãe, até quando esperar?

Ser mãe, até quando esperar?

A idade em que as mulheres decidem ter o seu primeiro filho está aumentando a cada ano. Ao desejo de ser mãe, muitas vezes colocamos nossa estabilidade econômica, emocional, familiar, laboral na frente. São tantas coisas em que devemos pensar na hora de decidir que quando chega o momento de ser mãe, a gente se esquece do mais importante, da fertilidade.

Exames e análises médicas na gravidez

Exames e análises médicas na gravidez

Ao longo dos diferentes trimestres de gravidez o ginecologista te recomendará realizar exames médicos, principalmente análises de sangue e de urina para avaliar o estado da mãe e descartar possíveis complicações na gestação. Também será realizada uma citologia no início da gravidez e um exsudado ao final do mesmo.

Todas as mulheres têm instinto maternal

Todas as mulheres têm instinto maternal

Há alguns anos eu falei com uma mamãe da escola que me comentou que seus amigos e familiares ainda não podiam crer que, finalmente ela teria decidido ter filhos. Segundo ela, não tinha nenhuma predisposição natural: não gostava de crianças e essa ideia não a atraía em absoluto, e, no entanto, não contente com um, ela teve três filhos. Talvez para satisfazer ao seu marido?

Indigestão na gravidez

Indigestão na gravidez

O termo indigestão se define como falta de digestão e pode se manifestar como sensação de ardor ou acidez após as refeições, ou pela sensação de peso no estômago que aparece a pouco tempo após iniciar a ingestão de alimentos ou uma vez finalizada a mesma. Esses sintomas são muito frequentes nas gestantes, se bem que não no mesmo momento da gravidez.

0 comentarios