O que comem e o que não comem as gestantes de acordo com a sua nacionalidade

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Uma gravidez é uma gravidez, seja no Brasil ou em Tombuctú, não é verdade? Com certeza não. Parece que as autoridades médicas não estão de acordo a nível global em relação aos alimentos permitidos e aqueles que estão proibidos para toda gestante. Tanto é assim, que cada país impõe suas próprias recomendações, e o que é permitido no seu país, está contraindicado no país vizinho. Surpreendente. 

Aqui um pequeno teste: Em que país as gestantes podem comer sushi? Em qual país a gestante toma uma taça de vinho ou champanhe? Aonde é totalmente proibido o queijo feta? Japão, França e Grécia são as respostas para cada uma dessas perguntas.

O que as gestantes comem segundo o seu país de origem

o-que-comem-e-o-que-não-comem-gestantes A

Uma das coisas que foi mais difícil para mim foram as proibições alimentares. Como eu senti falta dessas fatias de presunto defumado ou dessas torradas com patê, ou um jantar à base de sushi ou uma salada de queijo feta. Não pude tomar nem uma taça de vinho em uma festa nem exagerar na cafeína, ainda que esteja caindo de sono. 

As proibições alimentares na gravidez estão dirigidas a evitar a listéria, Salmonella ou toxoplasmose (que podem conter em alimentos crus, pouco cozidos ou não lavados adequadamente) ou o impacto que pode ter no desenvolvimento do feto (como é o caso da cafeína e do álcool). Baseando-se nessas premissas, muitos países mantêm as mesmas recomendações, ainda que quando a tradição alimentar é muito rígida, algumas gestantes fazem ‘vista grossa’. 

Aqui, exemplos de alguns países do que pode e do que não se pode comer de acordo com a sua nacionalidade:

- As japonesas continuam comendo sushi e sashimi durante a gravidez como se fosse a coisa mais normal do mundo.  

- Na França é normal beber uma taça de vinho ou de champanhe, sempre com moderação e sem abusar. Mas, não provam nem uma colherinha de maionese caseira. 

- As gestantes gregas decoram seus pratos com o seu famoso queijo feta, uma delícia nacional difícil de resistir.

- As gestantes americanas e italianas não comem salsichas feitas com presunto, peru ou salame.

- As mulheres árabes comem muitas tâmaras, já que são boas para a formação óssea do bebê. 

A tudo isso se acrescenta os mitos e as crenças populares de cada país que nada tem a ver com a ciência. Por exemplo, nas Filipinas as gestantes comem ovos crus devido à crença de que ajuda a lubrificar a vagina e facilitar o trabalho de parto.  Na China evitam o caranguejo porque a criança poderia nascer com 11 dedos, e em alguns lugares como a Tanzânia, as mulheres não comem carne por acreditar que o seu bebê poderia assumir as características do animal.

Seja como for, a melhor coisa é aplicar o senso comum e continuar com uma dieta sadia e equilibrada, ainda que custe um pouquinho ter mais atenção ao que podemos comer e suspiremos por um bom queijo brie.

Alba Caraballo

Editora de GuiaInfantil.com