Quando retomar as relações sexuais após o parto

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Dar a luz a um filho implica num grande esforço corporal e emocional. Nosso corpo necessita se recuperar progressivamente das mudanças tão violentas que tenham se produzido nele. Emocionalmente, a gente deve se adaptar ao nosso filho e nosso filho a gente. Agora somos mães, a atenção do bebê e nossa recuperação são importantíssimas, mas não temos que nos esquecer que continuamos sendo mulheres e esposas. 

Quanto esperar para retomar as relações sexuais?

quando-retomar-as-relações-sexuais-parto A 

Nesses momentos é quando muitos maridos ficam relegados e passam a ocupar o segundo lugar na nossa atenção. Em geral, os papais entendem que a gente precisa se recuperar fisicamente do parto e eles mesmos são participantes e experimentam a profunda mudança familiar que ocasiona o nascimento de um filho. Continuar mantendo vivo nosso carinho é fundamental nesta etapa de mudanças. 

O primeiro mês após dar a luz é um momento espetacular quanto às novidades e a gente deve se preparar para elas. O casal (agora também papai e mamãe) tem de saber que a mulher durante o pós-parto não consegue se sentir sensual nem atrativa; a produção de leite pode impedir uma correta lubrificação; um parto vaginal pode ter acontecido com episiotomia; um parto com cesárea é considerada uma cirurgia grande; os lóquios ou perdas de sangue depois do parto nos indicam a recuperação e limpeza progressiva do útero. 

Temos que dar umas semanas de trégua ao nosso corpo e descansar, o que não significa que tenhamos que dispensar intensos momentos amorosos em casal (beijos, carícias, massagens ou encontros sexuais, preferivelmente sem coito). Não se trata de negligenciar o ato sexual, mas de direcionar nossa relação com o companheiro atendendo a aspectos mais emocionais. Os dois primeiros meses são decisivos para que não existam problemas no pós-parto ou sequelas. O tato e a compreensão do marido e o cuidado físico da mulher são fundamentais. 

Normalmente, pode-se aconselhar a retomar as relações sexuais uma vez que os lóquios terminem (a quarentena) que pode durar por volta de 15 ou 40 dias. O tempo de recuperação pode ser maior ou menor dependendo de cada mulher e do tipo de parto que tenha tido. 

Sem precisar demorar tanto, em um ou dois meses como muito, quase todas as mulheres estão preparadas física e emocionalmente para retomar com plenitude sua sexualidade e reafirmar seus afetos, enquanto exercem com mais destreza sua maternidade. Não deixemos que um excesso de zelo com nosso filho atrapalhe ou implique em algum inconveniente para voltarmos a nos sentir mulheres, amadas e desejadas pelo homem que escolhemos como papai do nosso pequeno. 

Patro Gabaldón

Redatora