O exercício físico combate a depressão antes e depois do parto

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Não há dúvidas que o exercício físico bem controlado melhora a qualidade de vida, cria hábitos mais saudáveis e ajuda a manter um bom estado de saúde física e mental. De acordo com um estudo americano, o exercício físico moderado e regular durante as diferentes etapas da gravidez também pode reduzir o risco de sofrer depressão antes e depois do parto, de uma forma saudável e eficaz. 

O exercício físico durante a gravidez 

Segundo os cientistas, é um grande erro que cerca de 70% das gestantes se encontrem inativas durante e depois do período de gestação, já que a ansiedade e o decaimento das mulheres quando esperam um bebê são consequências, em muitos casos, da inconformidade que sentem com as mudanças físicas no seu corpo. O exercício físico melhora a concepção da imagem corporal e o ânimo nas gestantes, sem que elas tenham que recorrer a terapias e a medicamentos antidepressivos. 

Com somente 120 minutos de exercícios não forçados por semana, a mulher pode evitar uma possível depressão, que, hoje em dia, atinge 11% das mulheres durante o período pré-natal, e entre 9 e 16% depois do parto. Hoje, em muitas academias de ginástica, já se pode contar com várias opções orientadas à gestante, como é o caso do Pilates durante a gravidez, os exercícios de Kegel, yoga pra gestantes, além do Shiatsu, uma massagem muito relaxante. 

É importante que a mulher pratique algum tipo de exercício físico durante a gravidez, não somente para prevenir problemas emocionais e físicos, como também para preparar seu corpo para o momento do parto. Se você estiver grávida e deseja iniciar alguma atividade física, é aconselhável que consulte primeiramente o seu médico. Ele considerará tanto a etapa da gravidez em que você se encontra, assim como o estado da sua saúde, mas de modo geral, não existem razões para que as grávidas não se exercitem. 

Vilma Medina

Diretora de GuiaInfantil.com