Mamadeiras e chupetas do seu bebê podem conter substâncias cancerígenas

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A partir do dia 6 de novembro de 2015 o comércio de a indústria não poderão mais vender mamadeiras que contenham o produto bisfenol A. É uma substância que pode provocar câncer em bebês

As mamadeiras, chupetas e materiais plásticos podem conter o BPA (ou bisfenol A), e que por desconhecimento muitas mamães têm usado produtos piratas, comprados em camelôs ou não regulamentados e podem estar colocando a vida do pequeno em risco

Estudos mostraram que a substância é tóxica. Ainda que os resultados não sejam conclusivos existe a suspeita que possa causar câncer principalmente em bebês.

O bisfenol A (BPA) já foi banido em diversos países na fabricação de mamadeiras e acessórios

mamadeiras-e-chupetas-bebê-substâncias-cancerígenas A 

No Canadá e nos países da União Européia o produto foi banido. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária resolveu agir por precaução. Desde o ano de 2011 a ANVISA proibiu a fabricação de mamadeiras e acessórios que contivessem o produto bisfenol A. Após a proibição algumas marcas começaram a trazer informações na embalagem das mamadeiras e chupetas

O problema é que os laboratórios do Inmetro não tinham capacidade de analisar se os plásticos utilizados na fabricação desses acessórios infantis tinham ou não a presença do bisfenol A e cumpriam essas determinações. Há um ano o Inmetro capacitou os laboratórios e deu um prazo para que as indústrias se adequassem e a partir dessa semana começa a fiscalização para comprovar que os materiais estão livres de BPA. 

A partir do dia 6 todas as mamadeiras terão de apresentar o selo do Inmetro nas embalagens garantindo que passaram por análise e os pais devem alertar para duas coisas: só comprar artigo infantil no mercado formal e olhar a presença do selo. Existe a obrigatoriedade que o produto seja certificado e ostente o selo do Inmetro. 

Pablo Medina

Redator de Guiainfantil.com Brasil