Como estimular a mastigação dos bebês

Como ensinar seu filho a mastigar

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Aprender a mastigar pode ser muito difícil para algumas crianças. Muitas delas chegam à idade escolar sem querer comer nada sólido. Isso pode implicar em alguns problemas de adaptação na escola, se vão comer fora de casa, além de ser objeto de comparação com outras crianças da mesma idade que já comem de tudo. 

Como ensinar os bebês a mastigarem

bebê-comendo-sujando A

O primeiro ano do seu filho é um momento de grandes mudanças quanto à forma de se alimentar. É preciso uma grande paciência e dedicação para conseguir que a criança consiga com êxito a adaptação progressiva a novos sabores, texturas e formas de se alimentar. Normalmente se recomenda começar a comer alimentos não triturados a partir do primeiro ano de idade, mas o aprendizado e treinamento podem começar uns meses antes. A saída dos dentes é um bom momento para oferecer algum alimento sólido sob nosso olhar atento. Um pedaço de pão do dia anterior (difícil de fragmentar) pode ser um grande alívio para suas gengivas doloridas

Como estimular a mastigação dos bebês

Para favorecer a mastigação podemos seguir algumas recomendações: 

- Antes de tudo devemos ser constantes e pacientes. As mudanças bruscas, as imposições e a pressão não são recomendadas em nenhum caso. O aprendizado dependerá de alguma maneira, da disposição da criança e devemos ser compreensivos, mas sem abandonar o treinamento progressivo das suas pequenas mandíbulas sem se desesperar.

- Para ir adaptando os costumes do seu filho, você pode começar variando as texturas dos purês. Progressivamente você pode ir abandonando o liquidificador pelo amassador de batatas, ou pelo garfo para triturar os alimentos. Não devemos oferecer alimentos difíceis de mastigar (elásticos), é melhor oferecer à criança carne picada em pedaços bem pequenos. 

- A partir do primeiro ano, os bebês gostam de mostrar certa autonomia na hora de se alimentar. Permita que comam pequenos pedaços de comida, usando suas mãos e seus pequenos dedinhos, ainda que se suje. Essa prática ajudará seu filho a desenvolver tanto seus hábitos alimentares como a motricidade das suas mãos. 

- Pode-se começar reduzindo um pouco da quantidade do purê e ir complementando com algum alimento que tenha preparado para você e que sejam fáceis de comer: refogados com batatas, peixe, omelete ou banana. Alterná-los durante um tempo, te assegurará que a criança continue comendo a quantidade de alimento que precisa. Compartilhar o momento da refeição com os pais e irmãos mais velhos com o bebê, favorecerá que ele queira se apropriar dos hábitos e alimentos dos mais velhos. 

- Evitar alimentos que possam causar asfixia pela sua dureza ou porque se esmigalham facilmente. Existem no mercado algumas receitas em que se podem introduzir frutas e outros alimentos suculentos sem perigo e que permitem ao bebê treinar suas mandíbulas e sugar seu suco sem riscos. 

- Quando o seu filho vai ficando maiorzinho, você deve fazê-lo entender que a mastigação o ajudará a ter uma mandíbula forte como a de um crocodilo e também dentes sadios. Deve-se evitar que a criança engula os alimentos inteiros ou pouco triturados, por isso os pais devem ensinar seus filhos a mastigarem devagar e várias vezes para salivar bem o alimento para uma melhor digestão. 

Patro Gabaldón