Por que umas crianças engordam mais do que outras

Fatores que influenciam no peso das crianças

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

'O meu filho come a metade do que o da vizinha e, no entanto tem tendência a engordar’. Essa frase ou outra similar se ouve muito na consulta ao pediatra. O certo é que é um desafio proporcionar uma explicação com base científica e coerente que evite análises dolorosas ou que ajude a resolver situações de conflito dentro de uma mesma família. Por exemplo, quando um dos irmãos tem sobrepeso e o outro conserva um peso normal para o seu tamanho e idade, apesar de ingerir mais quantidade de comida, ou o que é mais desconcertante, apesar de comer ‘pior’, isso é, come muito batata frita e guloseimas que o irmão... Por que isso acontece? 

Causas de que umas crianças engordem mais do que outras

por-que-umas-crianças-engordam-mais-outras A

1. A criança ‘belisca mais’. Às vezes, a apreciação da quantidade e qualidade da comida que um ou outro ingere é errônea. Não é verdade que a criança com sobrepeso ingere menos ou a mesma coisa que o outro da mesma idade e altura. Pode ser que na família não estejam contando esses ‘extras’ que com frequência acontecem. 

2. A criança come ‘escondido’. E inclusive pode acontecer que a criança ingira escondida e em diversos horários (é bastante frequente visitar o armário dos biscoitos antes de ir dormir ou na hora da merenda), frituras ou comida não saudável com alta densidade energética. 

3. Questões genéticas. Outras vezes, isso é mais frequente, se for bem evidente a constatação de que existem crianças (e também adultos) que ingerem a mesma quantidade de comida que outras que permanecem sem sobrepeso durante anos, mas têm mais facilidade para conservar energia em forma de gordura. A genética tem estudado (e continua estudando) esse tipo de situação e tem um conhecimento melhor a cada dia dos genes que tem perdurado durante séculos de evolução para favorecer o acúmulo de energia em forma de tecido gorduroso, já que o habitual em nossa longa e milenar história como seres humanos era gastar bastante energia para buscar alimento para poder sobreviver. 

4. A sociedade atual. De todas as maneiras, ainda que o seu filho tenha os chamados genes ‘poupadores’, a interação com nossa atual sociedade será a responsável em 95 a 97% dos casos de excesso de peso. Já é clássica a frase: os genes carregam a pistola, mas o meio ambiente e o nosso modo de vida aperta o gatilho. 

Fatores que influenciam no gasto de energia das crianças 

Por todos esses motivos, a gente deve conhecer bem como funciona o metabolismo dos nossos filhos, e sejam ‘poupadores’ ou não de energia é muito aconselhável adequar a quantidade (e qualidade) de calorias ingeridas com sua genética e com seus níveis de atividade, já que a atividade física é o componente mais variável dentro do gasto energético total. 

As variações no Gasto Energético de Repouso (a energia gasta em repouso) têm relação com: 

- O peso. 

- A massa corporal magra (músculos, ossos e órgãos). La masa corporal magra (músculos, huesos y órganos)

- O sexo (os meninos gastam mais do que as meninas). 

- A idade (na adolescência existem necessidades aumentadas). 

- Fatores genéticos (individuais, mas também importa o peso dos familiares). 

- A raça, e múltiplos fatores meio ambientais (por exemplo, a temperatura fria exterior nos obriga a gastar mais para conservar nossa temperatura interna estável). 

- Por último, também influencia o sistema nervoso (predomínio simpático ou parassimpático) e nossa situação prévia nutricional e clínica. 

Realmente não existe nenhum problema se uma criança tem tendência a engordar. O que os pais devem se preocupar é que a criança coma alimentos saudáveis e menos calóricos e pratique uma atividade física. Isso não quer dizer que se a criança praticar algum exercício físico ela pode comer de tudo e se alimentar mal. O exercício nunca compensa uma má alimentação. NUNCA! 

Carlos Casabona

Pediatra