O que é a plagiocefalia em bebês

O que é e como se trata a plagiocefalia infantil

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Como um bebê deve dormir? Boca para cima ou para baixo? Essa é uma pergunta muito frequente entre as mamães e avós nas consultas de pediatria. Em 1992, A Associação Americana de Pediatria realizou uma campanha de divulgação conhecida como ‘Back to sleep’, recomendando colocar o bebê de boca pra cima para dormir, com evidência científica de que prevenia a Morte Súbita do Lactente. Como resultado, segundo alguns estudos se conseguiu diminuir a mortalidade até em 40% (esta é uma porcentagem muito importante). A campanha foi um êxito e a recomendação está plenamente aceita e difundida entre os pediatras.

Mas, esta postura, ao dormir de boca pra cima, teve como consequência um aumento das deformidades craniais conhecidas como ‘plagiocefalia posicional’, se converteu em um motivo de preocupação entre os pais. As suturas (tecido que une os ossos do crânio) estão abertas, diferente de outras patologias como cranioestenose, mais graves e complexas, e que requerem um tratamento cirúrgico.

Causas da plagiocefalia em bebês

o-que-é-a-plagiocefalia-em-bebês A

Na maioria dos casos, a deformidade do crânio se deve a uma reiterada posição do bebê no berço. No entanto, o pediatra deve descartar patologia associada, como torcicolo ou alterações neurológicas que possam ser a causa de que a criança olhe sempre para o mesmo lado. Em alguns casos, precisam de exercícios de reabilitação.

Não há evidência científica que demonstre na atualidade que a plagiocefalia posicional produza outras alterações além da deformidade craniana e/ou facial, ou seja, que é um tema mais bem estético, mas em ocasiões pode ser tão chamativo que requeira um tratamento, ou tão acentuado que derive em uma assimetria de olhos e orelhas, o que pode acarretar em futuros problemas de visão ou de audição.

Os principais especialistas implicados no diagnóstico e tratamento da plagiocefalia são: pediatras, fisioterapeuta (ou terapeuta ocupacional), e neurocirurgiões pediátricos.  

Como evitar a deformidade craniana nos bebês

Para evitar que se produza a deformidade cranial e para melhorar as deformidades já estabelecidas é possível realizar algumas medidas simples: 

1. Colocar brinquedos do lado contrário ao lado achatado, para que gire a cabeça. 

2. Colocar o berço de tal forma que a criança que a criança seja estimulada e fale do lado contrário ao achatamento. 

3. Geralmente os bebês dirigem o seu olhar para a cama dos pais, por isso deve-se mudar o sentido em que o bebê deita, ou seja, a cabeceira do berço, alternando para que a criança cada vez se deite de um lado.

4. Permitir que a criança brinque sobre sua barriguinha durante os 3 – 4 meses, sempre que estiver desperta e na presença dos pais, para fortalecer os músculos cervicais. 

Tratamento da plagiocefalia infantil

Quando estas medidas de prevenção não forem suficientes, e a plagiocefalia for severa, deve-se conceber a opção de uma órtese craniana (capacete específico), que deverá ser colocada a partir dos cinco meses.

Existem ortopedias especializadas neste sentido. A utilização da órtese deve ser durante 22 – 23 horas por dia para que sejam efetivas e os resultados tão bons que valerá a pena o esforço.

Malena Hawkins

Pediatra