Como ensinar a criança a aprender e não a memorizar

Dicas para que as crianças aprendam compreendendo e não memorizando

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

São muitos os benefícios de aprender, por exemplo, uma poesia ou uma canção infantil de memória, e é verdade que todos os adultos recordam alguma da sua infância, mas também é certo que, às vezes, não entendíamos bem o que queriam dizer e só entendemos ao chegar à idade adulta. Está claro que sempre vai bem exercitar a memória, mas também é fundamental compreender o que lemos. Dito isto acredito que a memória sempre estará presente em todo aprendizado.  

Memorizar ou aprender compreendendo?

como-ensinar-a-criança-a-aprender-memorizar A 

Ainda que não sejamos conscientes, a memória visual nos ajuda na hora de estudar ou ler um texto. Recordar onde está determinada palavra ou a imagem que acompanha os textos pode nos ajudar muito nessa tarefa. 

Por experiência própria, sei que visualizar as imagens e associá-las às ideias é uma ajuda inestimável na hora de aprender.  

De acordo com o crescimento, as crianças vão adquirindo mais informação do mundo que lhes rodeia e sua curiosidade infantil é fundamental na sua aprendizagem. Quando chegam à escola começa o aprendizado mais relacionado a algumas normas e uns conteúdos estabelecidos que devem aprender, e está nas mãos dos adultos a experiência de continuar aprendendo não se torne chato e um peso para eles. 

Dicas para que a criança aprenda sem memorizar 

- Para que a criança possa se concentrar mais facilmente devemos fazer que seu local de estudo seja confortável e não haja distrações, por exemplo, com a televisão ligada seria difícil. Por isso, devemos criar um ambiente tranquilo e relaxado. 

- Se forem se acostumando a cada dia a utilizar uma parte do seu tempo para ir se concentrando em aprender, quando forem crescendo não será difícil para eles porque já fará parte da sua rotina. 

- Penso que a criança deve descansar, brincar, jogar, fazer alguma atividade esportiva, teatro, etc. que seja lúdica e que lhe ajude a relaxar antes de se colocar diante de um livro. 

- Quando são bem pequenos os pais devem ajudá-los a distribuir melhor o seu tempo. 

- Os filmes, os contos e as poesias infantis são ferramentas indispensáveis para começar a motivar-lhes porque criam um vínculo afetivo e emocional que dão estabilidade às crianças. São ideais para transmitir as mensagens que queremos. Através deles, a criança compreenderá, assimilará e raciocinará e como consequência reterá, e caso não consiga, nós estaremos ali para ajudar-lhes nessa tarefa fazendo-lhes perguntas e respondendo às suas dúvidas. É muito importante que eles nos expliquem com suas próprias palavras. Isso significará que tenham compreendido. 

- Um truque para que possam compreender a mensagem, quando num texto tenha alguma palavra ‘complicada’, pode ser substituí-la por um sinônimo que lhes resulte mais próximo, ou acompanhá-lo de uma imagem representativa do conceito. 

- Creio que para aprender, sempre que seja possível, é importante ir ao ‘terreno do jogo’, estudar as estações do ano, por exemplo, é muitíssimo mais ameno e se compreenderá melhor se temos a possibilidade de sair a campo, tocar e cheirar as flores, as folhas, as árvores, ver os animais, etc. Penso que em toda aprendizagem os sentidos devem estar presentes. Outra maneira indiscutível de que aprendam sem se dar conta, como tantas vezes temos dito, é através dos jogos, pois se aprende de maneira natural e sem esforço e lhes ajudará a ser criativos. 

Para terminar eu deixo uma frase de Aristóteles: ‘O que temos que aprender o aprendemos fazendo’. 

Marisa Alonso Santamaría

Poetisa