Quando é necessário fazer o teste de Quociente Intelectual em crianças

O que é o teste do quociente intelectual das crianças e para que serve

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Muitos pais podem chegar a ter uma criança superdotada em casa sem se dar conta. Ou, pelo contrário, acreditam que a criança seja superdotada porque tenha chegado da escola com o resultado do teste que realizaram ali que diz que é muito inteligente (ainda que esse tipo de teste que se faz em grupo seja pouco confiável). 

Na realidade, para que serve um teste que mede o quociente intelectual? Em que casos é recomendável fazê-lo? 

Quando fazer o teste de QI em crianças

quando-é-necessário-fazer-o-teste-de-quociente A 

Existem formas para conhecer e compreender as capacidades de uma criança, como, por exemplo, tentar avaliar a facilidade e a rapidez com que a criança resolve problemas lógicos ou percebe semelhanças entre situações diferentes. 

Fazer esse tipo de teste pode nos proporcionar indicadores para os questionamentos: A criança necessita de educação especial? A criança é superdotada e necessita de um ensino adaptado? Esses são alguns dos casos porque se realiza o teste de QI em crianças: 

- Ao suspeitar que a criança seja superdotada

- Diante de um atraso evidente na aprendizagem

- Diante de uma suspeita de hiperatividade infantil

- Para comprovar os efeitos de um traumatismo na cabeça. 

A partir dessas perguntas é onde podemos pedir uma avaliação completa da inteligência do pequeno pedindo a um especialista (pedagogo ou psicólogo) que realize o teste do quociente intelectual. 

Quando os testes de QI são confiáveis

A inteligência é difícil de medir, por isso para que sejam confiáveis devem ser realizados por profissionais, do contrário se pode fazer muito mais danos à autoestima como das expectativas em relação à criança. 

Esse tipo de teste só são necessários em circunstâncias especiais. E os resultados que derem terão consequências muito importantes.

Por esse motivo o tipo de teste que se pode encontrar pela Internet ou aqueles que são feitos em grupos grandes sem circunstâncias controladas não são confiáveis. No caso de realizá-lo sempre deve ser com um psicólogo especialista

Borja Quicios

Psicólogo educativo