Por que não dar aos nossos filhos tudo o que podemos

O erro de dar às crianças tudo o que pedem

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Hoje em dia é mais fácil cair no erro de dar tudo o que os filhos pedem. Alguns pais o fazem pelo desejo de compensar aos seus filhos o pouco tempo que passam com eles devido a uma extensa jornada laboral. 

Algumas vezes se condicionam pela pressão social ou às comparações. E outras vezes, os pais preocupados pelos seus filhos querendo ser carinhosos com eles se esforçam em dar tudo o que podem oferecer-lhes seguindo o sentimento de ‘que o meu filho não passe as necessidades que eu tive na minha infância’. 

Razões para não dar tudo o que podemos às crianças

por-que-não-dar-aos-nossos-filhos-tudo A 

- Quando os adultos dão aos seus filhos tudo o que podem sem limites e disciplina pode correr o risco de superproteger as crianças sem ensinar-lhes o valor das coisas e do esforço.  

- A criança pode acabar entendendo como uma forma de carinho e proteção, mas na prática quando os pais não impõem limites lhe dão outro significado: educar mal à criança. 

- Ou seja, a criança se converte em alguém que lhe resolvem tudo, cresce sem respeitar limites nem a autoridade, não conhece normas nem por que devem respeitá-las. Além disso, quando é superprotegida, os pais tiram da criança a oportunidade de se sentir independente fazendo que não se torne responsável pelos seus atos. 

- Se os pais educam assim as crianças acaba prejudicando seu amadurecimento a nível afetivo, já que o pequeno se acostumará com que façam tudo por ele. 

- Quando se dá tudo à criança sem nenhuma negativa existe um risco de que os pequenos se tornem exigentes e egoístas. Eles se vêem como o centro das atenções e acreditam que somente eles são os importantes e os demais estão a seu serviço. 

O que fazer quando a criança quer tudo 

Se os pais lhe dão tudo o que podem aos seus filhos, permite-lhes e concede sem exigir-lhes nada em troca, as crianças se tornam intolerantes à frustração

Por outro lado, se as crianças recebem negativas de vez em quando, experimentarão com os sentimentos que acontecem quando as necessidades não são satisfeitas.  Sensações normais e cotidianas nas pessoas e que têm aspectos positivos na criação.  

Comprovar essas emoções em primeira mão será positivo para as crianças, já que lhes ajudará a estabelecer sua autonomia e dependência com relação aos adultos. Portanto, nunca é tarde para que os pais saibam dizer ‘não’ e que as crianças saibam o que se pode ou não se pode. 

Com a negativa, se faz ver às crianças que hão de ganhar as coisas, que devem respeitar normas e limites para chegar a elas. O ‘não’ deve ser coerente e ter um caráter lógico; deve ser explicado com clareza à criança. Pelo contrário, a negativa não deve ser imposta e que a única razão seja: ‘porque eu estou dizendo que não’. 

Borja Quicios

Psicólogo educativo