A Rosa de Natal. Conto natalino para crianças

Conto com valores para contar as crianças no Natal

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

O Natal é uma época ideal para contar contos com valores às crianças. O Natal transmite valores como a generosidade, a bondade, a compaixão... 

Este conto, ‘A Rosa de Natal’, fala precisamente de compaixão e bondade. É ideal para explicar o que significam esses valores aos pequeninos. 

A Rosa de Natal, conto sobre a compaixão para as crianças

a-rosa-de-natal-conto-natalino A 

Era uma noite de inverno e fazia muito, muito frio. O vento gelado soprava com força. A terra estava congelada e coberta com uma grossa camada de gelo e neve. Num tempo como aquele o melhor era ficar em casa junto à chaminé... 

Samuel, o jovem pastor, tinha ouvido pessoas falarem sobre o nascimento de um menino num estábulo bastante perto de sua casa. Como esse dia era tão gelado, ele pensava: com esse frio, a criança vai congelar! 

Samuel tinha nascido no verão, quando as rosas estavam florescendo. Muitas pessoas chegaram com presentes o dia em que nascera. Todos queriam conhecê-lo! O sol iluminava com força e o tempo firme animava os vizinhos a visitar a sua casa. Mas, agora, tudo era tão cinza e frio. Assim, que ele se perguntou se aquela criança teria alguém que iria visitá-lo. 

Dava a entender que os pais do recém-nascido não eram daquela região e não conheciam a ninguém. Decididamente Samuel desejava visitar o novo bebê no estábulo. ‘Só quero vê-lo para me assegurar que tudo está bem’, pensou. Assim, que decidiu partir. 

Samuel se abrigou bem; se envolveu no seu agasalho de pele quente e forte para se proteger do vento e do frio. Apesar do desejo em ver ao pequeno, ele estava um pouco triste porque Samuel era tão pobre que não tinha nenhum presente para o pequeno... 

Ia caminhando pensativo e de repente avistou algo brilhante embaixo de uma árvore, algo que parecia com uma flor. 

- ‘Em pleno inverno?’ – pensou – isso não pode ser verdade’. Correu até ela para vê-la melhor. E, na verdade, crescendo em um tronco robusto tinha uma flor branca com cinco pétalas. Parecia uma estrela de cinco pontas! Esse seria o seu presente!  

Samuel pegou a pequena flor e se apressou. Finalmente chegou ao estábulo e se colocou diante do bebê que estava deitado numa manjedoura. Samuel levava a flor na sua mão. 

O pastorzinho estava muito próximo ao recém-nascido, e justamente quando se inclinou a ele para entregar-lhe sua flor, um potente raio de luz iluminou a manjedoura. A luz, de cor dourada, procedia da pequena flor que Samuel sustentava em suas mãos. Desde aquele dia, aquela flor, que floresce a cada Natal se chama a Rosa de Natal.