Como evitar o contágio do herpes labial em crianças

Como o herpes labial afeta na gravidez e na infância

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

O herpes simples do tipo 1 (HSV-1) ou herpes labial é muito contagioso e, ainda que nos adultos não tenha maiores consequências, nos recém-nascidos pode causar graves danos e inclusive a morte. É transmitido através da saliva e não tem nenhuma relação com o herpes vaginal

Por volta de 85% da população mundial está infectada e mais da metade dela foi contagiada na infância antes dos 6 anos de idade. Uma vez infectada, o vírus se torna latente no nosso corpo e pode voltar a brotar ao longo da nossa vida, já que não se cura. 

Sintomas do herpes labial em crianças e gestantes

como-evitar-o-contágio-do-herpes-labial-crianças A 

O surto do herpes labial pode durar entre 7 e 15 dias, mas quais são os seus sintomas?

- Começa com uma sensação de coceira e queimação nos lábios.

- Aparecem umas pequenas bolhas na área. 

- As bolhas estouram e flui um líquido. 

- Se forma uma crosta. 

- A crosta cai sem deixar marcas. 

É importante ter muita precaução para evitar a propagação do contágio quando o vírus está em pleno surto. 

5 medidas para evitar o contágio do herpes labial em crianças e gestantes 

1. Lavar bem as mãos com sabão com muita frequência. 

2. Não tocar o rosto com as mãos. 

3. Lavar os brinquedos e os objetos que a criança utiliza. 

4. Evitar os beijos

5. Não compartilhar copos, talheres, garrafas nem travesseiros. 

6. Aplicar protetor solar labial. 

Como o herpes labial afeta os recém-nascidos e as crianças 

Se um recém-nascido é contagiado com herpes labial pode ser muito perigoso. Pode causar-lhe infecções como a encefalite ou meningite e afetar o cérebro, pulmões e fígado causando úlceras na pele e nos olhos e podendo provocar inclusive a sua morte. 

O primeiro surto de herpes labial em crianças pode causar a doença denominada gengivoestomatite herpética, o que apresenta: 

1. Febre alta. 

2. Dor na gengiva. 

3. A criança baba muito. 

4. Dificuldade para comer.

5. Bolhas na boca, na língua, bochechas, palato e gengivas. 

Por que as gestantes são mais propensas a ter surtos de herpes labial 

As quedas do sistema imunológico, as alterações hormonais, o estresse, a falta de descanso e as altas e as baixas temperaturas podem desencadear os surtos do herpes labial. Durante a gravidez é possível tratar com cremes anti-herpéticos, sempre consultando o médico, e se o surto se produz logo após o nascimento do bebê é muito importante extremar as medidas de precaução para evitar o contágio do nosso filho. Também se podem aplicar alguns remédios para encurtar sua duração e evitar o contágio:  

- Diante dos primeiros sintomas é bom aplicar gelo e álcool na área. Isso pode prevenir o seu desenvolvimento. 

- Os cremes anti-herpéticos ou antivirais tópicos aplicados 4 ou 5 vezes por dia, antes das 72 horas antes do surto ajuda a encurtar o processo viral. 

- Existem cremes que favorecem a cicatrização após a explosão das bolhas. 

- Os curativos ajudam a reduzir o contágio. 

- Os géis isolam a área afetada para evitar que o vírus se propague. 

Cristina González Hernando

Redatora de Guiainfantil.com