Diferenças entre crianças hiperativas e agitadas

Como saber se o meu filho é hiperativo ou simplesmente é inquieto

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

‘Meu filho não para!’. ‘Nunca está quieto!’. ‘Eu acredito que ele é hiperativo!’ São expressões que muitas famílias utilizam para se referir aos filhos. Desde a escola o professor ou professora nos comenta que: ‘nosso filho é muito inquieto, não para, não obedece, acho que ele é hiperativo’. Mas, realmente a criança é hiperativa ou somente se trata de uma criança agitada?   

Quem diagnostica as crianças hiperativas

diferenças-entre-crianças-hiperativas-e-agitadas A 

Hoje em dias se proliferam muitos casos de ‘crianças hiperativas’. Existe tal preocupação por parte dos pais e educadores que esse tipo de transtorno se socializou e se converteu em tema de fácil avaliação, o que implica em etiquetarmos e definirmos aquelas crianças que não entendemos. 

Quando uma criança não se ajusta às nossas expectativas e à norma social estipulada, ao não entender o que acontece a gente tenta definir o filho ou o aluno para enquadrar à situação e nos dar uma falsa tranquilidade. 

Muitas crianças têm sido, são e serão medicadas e tratadas como hiperativas por entrar nesse perfil de criança inquieta, distraída. E, depois a gente chega à conclusão que não o são. 

Portanto, temos de ter claro que somente um especialista é capaz de diagnosticar e contestar com certeza a essa pergunta e o seu filho nunca poderá sê-lo antes dos 7 anos. A partir daqui vamos ensinar-lhe as diferenças que existem para não cair na armadilha de etiquetar a criança como TDAH. 

Que diferenças existem entre uma criança hiperativa e uma criança agitada ou inquieta 

Nem sempre é fácil distinguir entre uma criança agitada ou uma criança com TDAH. Essa confusão vem dada pela semelhança de certas condutas que se apresentam em algumas crianças durante a infância. A observação profunda dos pais é fundamental para que lhes ajude a distinguir.

A hiperatividade infantil é um transtorno de comportamento de origem neurobiológica, que se caracteriza por: 

1.  Apresentar dificuldades para prestar atenção

2.  Distrair-se facilmente por coisas sem importância. 

3.  A criança apresenta problemas de ansiedade. 

4.  Mostra-se agressiva quando não consiga o que quiser. 

5.  Seu comportamento social é indiscreto. 

6.  Mostra excesso de afetividade. 

Quando o comportamento é agitado ou inquieto não existe patologia alguma. É um comportamento normal e se caracteriza por: 

1.  Comportamento que se dá como consequência de descobrir ou explorar seu ambiente.

2.  Quando algo lhe interessa, presta a atenção. 

3.  A criança se distrai quando algo não lhe motiva o suficiente. 

4.  É alegre e tem vitalidade. 

5.  Quando é travesso não implica ser violento. 

6.  Relaciona-se bem socialmente. 

7.  Ainda que desobedeça a criança conhece onde estão os limites de comportamento. 

Borja Quicios

Psicólogo educativo