Melhorar as práticas do aleitamento materno poderia salvar milhares de vidas

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Existe um produto capaz de salvar a vida de milhares de crianças de países em desenvolvimento. Este produto protege aos bebês contra doenças contra catarros, otites, bronquite, asma ou alergias. Está disponível em qualquer lugar do mundo, por remoto e inacessível que seja, e, além do mais é gratuito. 

Este produto milagroso não é outro senão o leite materno, capaz de tudo isso e muito mais. Segundo a Organização Mundial da Saúde, o aleitamento materno poderia salvar 800.000 crianças por ano em países em desenvolvimento.

Por que o aleitamento materno salva vidas de crianças

melhorar-as-práticas-aleitamento-materno-vidas A

Nos países em desenvolvimento, a má nutrição, a falta de alimentos ou a contaminação da água provoca a morte de milhares de crianças. A solução, segundo os nutricionistas consiste na melhora das práticas do aleitamento materno. As crianças amamentadas pelas suas mães têm muito mais possibilidades de viver do que aquelas que não recebem o leite materno.

Em alguns países não é normal ou comum dar o peito ao bebê desde o primeiro momento. Tanto é assim que em ocasiões se recorre a uma mistura de chá com mel. Pode parecer estranho que precisamente isso aconteça em países com poucos recursos, onde o leite materno é o alimento mais simples de se conseguir e mais barato. No entanto, em todo o mundo somente 43% dos bebês tomam leite na primeira hora de vida. 

Por que isso acontece? Nos países tropicais ou quentes substituem o leite por água, acreditando assim que evitarão a desidratação do bebê. Esta água muitas vezes está contaminada, nem sequer está fervida ou tratada e os bebês adoecem e morrem. 

Outro motivo é porque desconfiam se o colostro deve ser dado ao bebê. No entanto, essas gotinhas amareladas pouco abundantes contêm todos os nutrientes necessários para o recém-nascido. 

A proibição de dar o peito em público, o desconhecimento e a chegada dos leites de fórmula aos países em desenvolvimento também explica por que algumas mulheres não dão o peito aos seus bebês recém-nascidos. 

A OMS afirma que se todas as crianças fossem amamentadas na primeira hora após o seu nascimento e só recebessem este alimento até os seis meses, centenas de milhares de crianças salvariam suas vidas. O apoio ao aleitamento materno, portanto, é importante nos países desenvolvidos, mas vital nos países em desenvolvimento.

Alba Caraballo

Editora de GuiaInfantil.com