O boato de como o papel alumínio afeta a saúde da família

Vilma Medina

Vilma Medina

Quantos sanduíches e tortas já terão sido envoltos com o papel alumínio até o dia de hoje? O lógico é pensar que o lado brilhante do papel alumínio é o lado de fora, no entanto, na Espanha, uma nota (supostamente de um organismo competente) avisa sobre o erro... Devemos envolver os alimentos com a parte brilhante para dentro. Mas, o que há de certo em tudo isso? Será verdade que o papel alumínio é perigoso? E será verdade que devemos usar o lado brilhante para a parte interna? 

Mitos e verdades sobre o papel alumínio e a saúde familiar

o-boato-de-como-o-papel-alumínio A

De cara, uma imagem chega para você. Autoridades de saúde parecem avisar: o papel alumínio não está sendo utilizado corretamente. O lado mais brilhante sempre deve ficar colado aos alimentos, e o lado fosco deve ficar para fora, ainda que fique feio... A razão? A parte fosca do papel alumínio é tóxica. Enquanto que o lado mais brilhante é mais seguro, já que tem uma ‘barreira’ protetora. Mas, isso é verdade? 

Os fabricantes de papel alumínio asseguram que isso não é correto, que o fato de que um dos lados seja fosco se deve somente ao processo de fabricação. Na última fase, de prensa, duplicam-se as folhas de papel e os lados internos que não podem passar pelo rolo que lhes dá brilho característico ficam foscos. Simples assim.

Em diferentes países se tem feito estudos a respeito para comprovar as garantias de saúde do papel alumínio. Não se tem encontrado evidências que demonstrem que o papel alumínio seja realmente tóxico, já que as partículas de alumínio que podem desprender são realmente mínimas. 

Como usar de forma correta o papel de alumínio 

1. Não importa o lado que você utilize na hora de envolver um alimento. É indiferente que seja o lado brilhante ou o fosco do lado interno. 

2. Evite utilizar papel alumínio ao realizar sobremesas de forno. Melhor o papel vegetal.  

3. Evite usar o papel alumínio com frutas cítricas, alimentos como o tomate ou vinagretes ou alimentos em escabeche. Acelera o processo de oxidação, e, além disso, neste caso, o alumínio entra em contato com os caldos dos alimentos. 

Estefanía Esteban

Redatora de GuiaInfantil.com

Primeiros socorros. Entrevista com Jeannette Álvarez da Cruz Vermelha

Primeiros socorros. Entrevista com Jeannette Álvarez da Cruz Vermelha

Na hora de saber como agir diante um acidente, deve-se levar em conta que quando se trata de uma situação que envolve nosso filho, um sobrinho, um primo ou neto, os nervos podem atrapalhar. É necessário avaliar a situação com rapidez, observando o cenário onde o acidente ocorreu.

As travessuras e aventuras de um bebê pela casa. Que perigo!

As travessuras e aventuras de um bebê pela casa. Que perigo!

Quando os bebês começam a engatinhar ou a caminhar é uma alegria para os pais, mas também uma preocupação. Os pais vão precisar de vigilância contínua. Os bebês não têm medo de nada, perambulam por toda a casa, querem pegar tudo o que vêem pela frente.

O que fazer diante de uma intoxicação infantil

O que fazer diante de uma intoxicação infantil

Sofrer uma intoxicação por ingerir um produto de limpeza, um alimento em mal estado ou o contato com bactérias presentes nos objetos e brinquedos infantis pode ser muito desagradável tanto para o bebê como para os pais.

Por que não usar velas quando se tem um bebê

Por que não usar velas quando se tem um bebê

Meghan pensou que o melhor para o seu bebê era conseguir um ambiente agradável. Por isso decidiu utilizar velas aromáticas. Que idéia melhor para perfumar o quarto! Assim, que a as manteve acesas por umas 6 horas. No entanto, pouco depois descobriu no nariz do seu bebê tinha umas manchas negras. Era fuligem! Meghan não estava consciente do perigo que isso tinha para o seu filho.

0 comentarios