As crianças também podem sofrer de colesterol alto

Vilma Medina

Vilma Medina

Tem gente, e muita, que sempre tem que estar alerta do nível de colesterol que apresenta nos seus exames de sangue. Manter os níveis de colesterol apropriados no sangue é uma forma de evitar riscos de sofrer infarto ou angina de peito, assim como outros problemas vasculares. Todos nós sabemos que o excesso de colesterol não é bom. O que muita gente não sabe é que o colesterol pode afetar também as crianças.

Crianças com colesterol alto

Colesterol alto nas crianças

É evidente que o corpo necessita de colesterol. O colesterol faz parte da membrana celular, de muitos hormônios que regulam o funcionamento do organismo e dos ácidos biliares que fazem parte da bílis, que nos permite, por exemplo, digerir as gorduras. No entanto, o excesso de colesterol pode gerar problemas de saúde, principalmente se levamos uma vida sedentária e apresentamos sobrepeso.

As crianças que apresentam excesso de colesterol não sofrem risco de sofrer infartos, mas são suscetíveis de sofrer de doenças cardiovasculares. Nos últimos anos, alguns estudos revelam o crescente número de crianças com colesterol alto, devido ao tipo de alimentação que recebem, pelo sedentarismo e histórico familiar de doença cardiovascular. Segundo os médicos, não é recomendável procurar indiscriminadamente crianças com colesterol alto. Recomenda-se realizar análises de sangue nas crianças que tenham risco especial em padecê-lo, ou seja, que apresentem:

- Histórico familiar de colesterol alto.

- Um pai ou uma mãe com colesterol superior a 240 mg/dl.

- Um familiar que tenha tido infartos do coração ou angina de peito.

- Fatores de risco, como sobrepeso ou obesidade, ausência de exercício físico, etc.

O risco de ter colesterol alto vai aumentando com a idade. Por isso, é muito importante que desde cedo as crianças recebam uma alimentação adequada, e que sempre façam exercícios físicos e pratiquem algum esporte. Devem evitar, principalmente depois dos 5 anos, alimentos com muita gordura animal e saturada, já que, de modo geral, pode aumetar o colesterol ruim.

Vilma Medina
Diretora de GuiaInfantil.com

Deixe de fumar pela saúde dos seus filhos

Deixe de fumar pela saúde dos seus filhos

Parar de fumar para que os filhos tenham saúde. Já estamos mais que acostumados a ouvir sobre leis antifumo, seja em ambientes fechados, em algumas empresas e repartições. Qual fumante nunca se questionou sobre o desejo de parar de fumar, principalmente quando são pais de crianças pequenas.

Os pais devem estar conscientes do que os seus filhos comem

Os pais devem estar conscientes do que os seus filhos comem

Os bons hábitos com a comida devem começar a ser inculcados nas crianças desde as primeiras etapas e desde casa. Controlar tudo o que os nossos filhos comem não é fácil, por isso é importante que, desde muito pequenos, a gente consiga inculcar costumes saudáveis de alimentação.

O prazer de comer chocolate para as crianças

O prazer de comer chocolate para as crianças

Eu não conheço a nenhuma criança que não goste de comer chocolate. Ao leite, puro ou branco. Com ou sem frutos secos ou cereais. O chocolate pode fazer parte dos seus alimentos favoritos. Além de ser delicioso o chocolate em pequenas porções pode trazer benefícios para a saúde da criança.

A saúde da visão das crianças

A saúde da visão das crianças

Um problema de visão sem a devida correção pode afetar o bom desenvolvimento da vida diária das crianças. Eu me lembro que foi aos 8 anos que foi detectada minha miopia. Foi nessa mesma idade que detectaram a miopia da minha filha também.

Quantos ovos as crianças podem comer por semana

Quantos ovos as crianças podem comer por semana

O ovo aporta proteínas de alto valor biológico, fosfolipídios, uma quantidade generosa de ferro e várias vitaminas úteis como a B12, que é um nutriente dos glóbulos vermelhos. É um alimento muito completo. Mas, a partir de quando os ovos podem entrar na dieta da criança, e quantos ovos uma criança pode comer por dia?

0 comentarios