Brinquedos ruidosos podem lesionar o ouvido das crianças

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Muitas crianças amam os brinquedos que fazem ruídos. Para algumas, quanto mais ruídos fizerem, melhor. Quando ainda são bebês, os chocalhos são os seus preferidos, não apenas porque se sentem estimulados pelo tato como também pelo barulhinho que fazem. 

Brinquedos sonoros nos primeiros meses do bebê

brinquedos-ruidosos-lesionar-ouvido-crianças A

Os primeiros sentidos que os bebês percebem são: visão, audição e o tato. Por esta razão, os bebês manifestam preferências por objetos de cores, brilhantes, que façam ruído e se movimentem, como, por exemplo, os móbiles que podem ser colocados nos berços para distraí-los. No quarto de minha filha havia um palhacinho pendurado no teto, que cada vez que a gente dava corda nele, começava a mover a cabeça enquanto soava uma canção. Minha filha ficava louca. Seus olhinhos brilhavam como estrelas e começava a mover suas perninhas e todo o seu corpo.  

Chocalhos, sinos, buzinas e outros brinquedos que fazem ruídos ajudam a construir a noção de causalidade no bebê e por isso são especialmente atrativos. Mas, a partir dos dois anos, as canções infantis despertam um interesse diferente nos bebês. Necessitam de mais ruídos. Os instrumentos musicais de percussão, como pandeiros, bateria e xilofones atraem muito as crianças, assim como o som dos telefones, caixas registradoras, carrinhos de bombeiro, as sirenes dos carros de polícia ou das ambulâncias. 

O estímulo auditivo é benéfico, mas também pode representar um risco para os pequenos. Os fonoaudiólogos alertam sobre o perigo dos brinquedos infantis com alto nível sonoro e aconselham aos consumidores que vigiem o nível de ruído dos brinquedos sonoros, comprovando se cumprem as normas do Inmetro e da Abrinq (Associação dos Fabricantes de Brinquedos). O selo garante que os brinquedos não trazem riscos para a segurança e a saúde da criança, uma vez que já tenham passado por inúmeros testes antes de chegar às lojas.  

De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), a exposição ao ruído excessivo é a principal causa evitável de surdez permanente, tornando-se assim um problema de saúde pública.  

Um estudo realizado por pesquisadores da Califórnia sobre a segurança dos brinquedos mostra que existem muitos brinquedos que excedem as normas de segurança, por isso é necessário que as crianças brinquem sempre sob a supervisão de um adulto.  

Vilma Medina

Diretora de GuiaInfantil.com