Ignorar alguém também é assédio escolar

Vilma Medina

Vilma Medina

É curiosa a confusão que os pais têm com o assunto do assédio ou bullying. Muitos acreditam que as situações são ativas e consistem em intimidar ou atacar pessoalmente a alguém seja com palavras ou com violência física, mas poucos conhecem que ignorar alguém também é assédio. E é justamente essa marginalização que acaba com a autoestima de muitas crianças na escola. 

Essas situações que são muito comuns em centros educativos, escolar e institutos podem chegar a ser muito prejudiciais para quem as sofrem, geralmente em silêncio e solidão. Sentir-se ignorado é um duro golpe para a autoestima de qualquer pessoa, mas, sobretudo para todas as crianças e adolescentes em período de formação da sua personalidade. 

Os efeitos do assédio entre as crianças

ignorar-alguém-também-é-assédio-escolar A 

Ainda que todos entendam que dar um murro ou chutes e fazer piadas durante um período de tempo prolongado, sejam situações claras de assédio ou bullying, devemos estar também atentos às situações psicológicas de exclusão. Portanto, as situações de assédio, intimidação ou vitimização sejam aquelas em que um aluno ou aluna esteja exposto, de forma repetida e durante um tempo a ações negativas feitas por outros companheiros. Por ações negativas se entendem tanto as cometidas verbalmente ou mediante contato físico, como as psicológicas de exclusão.

A palavra bullying é utilizada para descrever esses diversos tipos de comportamentos não desejados por crianças e adolescentes, que incluem essas piadas pesadas, o ignorar ou deixar deliberadamente de fazer caso de alguém, os ataques pessoais e inclusive abusos sérios. 

Às vezes, é um indivíduo quem faz o bullying, mas também se pode fazer um grupo em bando e neste último caso a pressão pode se agravar, precisamente pela força do grupo diante de um indivíduo solitário. No assédio, o mais importante não é a ação em si mesma, mas dos efeitos que produzem entre suas vítimas. A maioria das crianças que se sentem sós se perguntam por que não conseguem agradar a ninguém e por que todos ignoram sua existência. Às vezes, os pais optam em trocar a criança de escola para ser se assim, com novos companheiros deixa de se repetir essa situação, mas o isolamento é como uma moeda de troca e a situação normalmente volta a se repetir. 

Qual seria a solução contra o assédio? As advertências, as ameaças de expulsão e os castigos não conseguem intimidar os agressores, que contam com o respaldo dos amigos. Na maioria dos casos, essas situações passam despercebidas para professores e pais, uma vez que as crianças as sofrem em silêncio e com temor. Tornar-se um dedo-duro poderia ser ainda pior. Portanto, a detecção precoce por parte dos demais é fundamental para colocar um freio a essas situações.

Marisol Nuevo

Guiainfantil.com

Bullying escolar. Veneno para a saúde física e emocional das crianças

Bullying escolar. Veneno para a saúde física e emocional das crianças

Quando você vai a uma reunião com o professor do seu filho na escola, o que te preocupa mais? Suas notas, seu comportamento ou o seu estado de ânimo? Eu não consigo acreditar que um pai ou uma mãe em que o professor comente que o seu filho se porte mal, não respeita a ninguém e ainda por cima torna a vida impossível aos seus companheiros de escola, não tome nenhuma medida para mudar essa situação.

Uma professora explica com duas maçãs o que é o bullying

Uma professora explica com duas maçãs o que é o bullying

Nesse dia, a professora Rossie Dutton queria explicar aos seus alunos o que é bullying. Ela pensou como podiam entendê-lo. Ela não está especializada em psicologia infantil. Pensou que a melhor maneira de entender algo que não se vê é fazer com que a criança enxergue. Ela usou duas maçãs. Uma que ela deixou cair várias vezes ao chão sem se machucar por fora e outra sem cair. Veja o resultado.

As crianças de 11 anos são as mais propensas ao bullying escolar

As crianças de 11 anos são as mais propensas ao bullying escolar

Muitos pais se perguntam qual é a idade da criança em que mais acontece assédio escolar com mais frequência. Já está na hora de dar um basta ao bullying nas escolas em que milhares de crianças em todo o mundo sofrem diariamente levando algumas delas ao suicídio.

10 perguntas sobre o assédio escolar ou bullying

10 perguntas sobre o assédio escolar ou bullying

O assédio escolar ou bullying é um tema que preocupa a milhares de pais em todo o mundo. Qualquer criança pode sofrer intimidação e por isso devemos permanecer alertas diante de qualquer indício.

Como posso evitar que intimidem ao meu filho

Como posso evitar que intimidem ao meu filho

Todos os pais se preocupam que o nosso filho ou filha se converta na vítima de um agressor, seja na escola ou em algum outro lugar. Nós nos preocupamos que não saiba se defender ou que não tenha as ferramentas necessárias para se proteger dos ataques emocionais ou físicos desses tipos de crianças.

A fabulosa estratégia contra o bullying de uma professora

A fabulosa estratégia contra o bullying de uma professora

O bullying se instala nas salas de aula, sutil e silencioso. Frequentemente invisível diante de muitos olhos. Para freá-lo não tem outra solução: evitar que se instale entre os alunos, mas, como? Uma professora tem encontrado um método eficaz que previne o assédio moral e ajuda aos professores a detectá-lo a tempo. A gente te explica em que consiste.

0 comentarios