Os ciúmes do primeiro filho com a chegada do segundo

O difícil que é para o primeiro filho aceitar o seu irmãozinho

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

O tema de ciúmes entre irmãos me desperta certa ternura e respeito. Ter irmãos é muito gratificante, mas algumas vezes é muito difícil para o primeiro filho assimilar que agora terá que compartilhar sua 'coroa' dentro de casa com seu irmãozinho. Agora ele terá que dividir a atenção e o carinho dos seus pais, em algumas ocasiões, seu quarto, brinquedos, tempo e quase tudo. Não deve ser nada fácil para o primeiro. 

Um segundo filho pode despertar os ciúmes do primeiro

O ciúmes do primeiro filho com o segundo

Não existe nada mais benéfico do que se colocar no lugar do outro. Se seu filho sente ciúmes do bebê que acaba de chegar, o melhor é se colocar no lugar dele. Seguramente você sentirá alguma pena, principalmente se a criança ainda for pequena. 

Outro dia pude assistir uma das minhas séries favoritas, numa situação em que os pais de uma menina de 6 anos chegavam em casa com um novo bebê da família. A reação da criança foi imediata. Ela se negou a conhecer o pequeno, inclusive olhar para ele. A criança ficava entristecida num cantinho do seu quarto porque todas as atenções eram para o pequeno. Isso alterou o seu sono e ela começou a ter medo do escuro, a querer dormir na cama dos seus pais, não querer ir à escola, e quando sua mamãe segurava o bebê no colo, a criança buscava apoio no seu papai, de uma forma quase asfixiante. 

Nesses momentos, a mãe, com tantos afazeres não se dava conta do que estava acontecendo com seu filho ou filha maior. Na série, o pai se dá conta do que está acontecendo com sua filha e fala com a mãe. Os pais decidem comprar um presente para que o bebê entregasse para sua irmãzinha. Má ideia, já que a criança abandona a bonequinha que tinha ganhado.

O que resultou positivamente foi dialogar com a filha. Os pais a fizeram compreender que sua atitude era errada, que ela tinha muito que ensinar ao seu novo irmãozinho, e a participar no seu cuidado e assim tentaram fazer com que a vida da menina retornasse ao curso anterior da chegada do irmãozinho. 

Não se trata de controlar os ciúmes do filho maior. O ideal seria prepará-lo antes, desde a gravidez, para a chegada do seu irmãozinho, procurando não deixá-lo de lado e respondendo sempre às suas necessidades. Faz muita falta a compreensão e paciência nessa etapa. Pouco a pouco, a criança irá reconhecendo e aceitando a nova situação, dando-se conta de que as mudanças são boas, e de que a ‘coroa’ não pertence somente a um filho, mas sim a toda família.