Como controlar os impulsos das crianças

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Ensinar os nossos filhos a controlar seus impulsos deve ser uma das metas na educação familiar. É algo assim como a ação de ‘adestrar’ à raposa de que falava Saint-Exupéry no seu livro ‘O pequeno príncipe’. Uma criança impulsiva é aquela que age sem pensar e sem medir as consequências dos seus atos e palavras. 

Alguns estudos asseguram que as crianças que controlam mal os seus impulsos têm mais possibilidades de sofrer com sobrepeso anos depois. Claro que estar alguns quilinhos a mais é apenas uma das consequências que a gente poderia listar com os nossos próprios erros – ou dos nossos amigos e familiares mais próximos – em exigir e pedir rapidez em tudo, na nossa forma de falar e de agir. 

Como ensinar nossos filhos a controlar seus impulsos

como-controlar-os-impulsos-das-crianças A 

A resposta a essa pergunta é complicada, pois está inclusa naquelas em que a própria experiência se torna insubstituível, mas talvez pudéssemos começar em levar em conta o temperamento de cada pequeno e ter a certeza de que não poderemos pedir-lhe ‘o impossível’. 

Um dos testes para diagnosticar o nível de controle de um pequeno menor de cinco anos empregada por uma prestigiada instituição de psiquiatria infantil foi sentá-lo num quarto em que previamente haviam colocado um brinquedo atrativo. Antes de deixá-lo sozinho explicaram a ele que deveria permanecer sentado. As crianças de maior autocontrole conseguiram chegar aos 75 segundos sem se levantar em busca do brinquedo. 

Para os de cinco anos ou mais, o exame consistia em ver quanto tempo os pequenos demoravam em reclamar uma porção da sua comida favorita sabendo de antemão que se a pediam de maneira imediata obteriam só um pouco, enquanto que se esperassem, a ração seria muito maior. Os que superaram os três minutos e meio de espera foram considerados como de um algo nível de autocontrole. Ainda que seja normal que as crianças ajam por impulso, os pais devem corrigir esses comportamentos para evitar que continuem vivendo com impulsividade no futuro. 

Seria bom que empregassem exercícios similares aos pequenos explicando a eles sempre o que ganham e o que perdem com cada decisão que tomarem. Será muito gratificante descobrir que pouco a pouco pensarão um pouco mais antes de agir ou falar. 

Rosa Mañas

Guiainfantil.com