Escutar queixas constantes é ruim para o cérebro das crianças

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Com certeza você conhece alguém que se queixa por tudo: seus filhos se portam mal, seus amigos não lhe escutam, seus chefes não lhe consideram, seu médico não liga pra você, o ônibus chega atrasado, faz frio, faz calor... 

É esgotante escutar essas pessoas que se queixam por tudo o dia todo. Inclusive quando não tenha nada por que se queixar elas encontram uma razão para fazê-lo. Normalmente a gente foge delas e isso tem uma explicação científica: a exposição às pessoas negativas prejudica a função cerebral, e nos deixam confusos ou esgotados. Isso implica também às crianças, por isso se você anda se queixando por tudo diante deles leia isso e depois reflita. 

Expor-se às queixas repetidas é ruim para o cérebro

escutar-queixas-constantes-é-ruim-para-o-cérebro A 

Trevor Blake explica em ‘Three simple steps: a map to success in business and life’ que os neurocientistas têm aprendido a medir a atividade no cérebro quando este enfrenta determinados estímulos, incluindo as constantes queixas. 

Blake explica que o cérebro funciona como um músculo, por isso que se as crianças estiverem rodeadas de pessoas negativas e tóxicas, que se queixam constantemente, elas terão a tendência em repetir esse comportamento. 

A pesquisa realizada pelo autor demonstra que quando alguém seja adulto ou criança se expõe demasiadamente às queixas pode ficar confuso.

Tão apenas 30 minutos junto a alguém negativo ou inclusive vendo um programa de televisão esse tipo de conteúdo faz com que o cérebro perca a capacidade que necessita para resolver um problema. 

Por que existem adultos e crianças tão queixosos 

No nosso dia a dia encontraremos mil motivos para os queixarmos, no entanto, essas queixas lançadas ao ar são inúteis, então por que o fazem? 

- Insatisfação: por trás das queixas por que chove ou por que faz calor se esconde uma profunda queixa diante da sua vida; são pessoas que não encontram o lado bom das coisas. 

- Falta de empatia: são pessoas que sentem ser o centro do universo, que necessitam e merecem mais coisas que os demais e não são capazes de se colocar no lugar do outro. 

- Costume: as crianças muito queixosas podem ser filhos de pais que se queixam por tudo. Assumem que se lamentar faz parte do dia a dia e é uma mania a mais. 

Como evitar as pessoas que se queixam constantemente

Para evitar que essas queixas prejudiquem o cérebro das crianças, as deixem confusas e inclusive as convertam em crianças queixosas; devemos ensinar nossos filhos a se defender e a se afastar desse tipo de pessoas, como? Trevor Blake nos dá algumas pistas: 

- Ficar distante: é a medida mais prática. É só dar a volta e buscar uma companhia mais adequada. 

- Pedir ao que se queixa que resolva os seus problemas: podemos dizer aos nossos filhos que façam essa pergunta ao queixoso: ‘E você, o que vai fazer a respeito?’. 

- Escudo protetor: façamos com que a criança que estiver com alguém assim que imagine uma capa invisível de Harry Potter, de tal maneira que se isole do que está acontecendo ao seu redor e nada do que ela escute a poderá afetar. 

Alba Caraballo

Editora de GuiaInfantil.com