Os ídolos das crianças. Como eles as influenciam

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Um pequeno menino de uns 8 anos busca escapar do horror da guerra. Para isso, só necessita de uma bola e a camiseta do seu jogador favorito, a quem admira e o leva a sonhar e a conseguir levantar todos os dias. 

O pequeno vive em Duhok, Iraque, uma zona de guerra. Como não tem recursos suficientes para comprar uma camisa de futebol, ele fabricou uma. Com uma sacola plástica ele pintou umas listras azuis. No meio, nas costas, o nome do seu ídolo: Leo Messi. 

Como os ídolos influenciam as crianças

os-ídolos-das-crianças A 

Mesmo sem saber, esse jogador de futebol, a quem o pequeno Duhok admira o faz sonhar. Faz com que suas aspirações vão mais além do confronto armado. Indica a ele um caminho a seguir. E, no seu caso, além do mais, o ajuda a usar a imaginação e a criatividade. Será que os ídolos influenciam tanto as crianças? 

Um cantor, um desportista ou uma estrela de Hollywood. Os ídolos dos pequenos contam com algo a seu favor: os meios de comunicação lhes têm feito famosos. Os converteram em estrelas e conseguem com que ultrapassem fronteiras. Cada um deles representa um referencial para milhares de crianças seguirem. 

Qual famoso personagem o seu filho admira? Será que ele gostaria de ser piloto de Fórmula 1 como o Lewis Hamilton? Ou um jogador como o Cristiano Ronaldo? Um cantor como Justin Bieber? Cada um deles transmite uma série de valores. Pode ser que a gente não dê muita importância, mas tem, e muita. Os ídolos contribuem com todas essas coisas às crianças: 

- Lhes ensina um padrão a seguir. 

- Lhes transmite uma série de valores

- Incentiva sua imaginação. Ajuda-lhes a ser criativos. 

- Representa um sonho a ser conquistado. 

As crianças tendem a imitar os seus ídolos. Daí a relevância que essas pessoas têm. Além disso, muitas crianças podem criar uma imagem falsa do seu ídolo. É então que os pais devem agir. Uma obsessão pelo seu ídolo pode gerar nas crianças falsas expectativas e muita frustração. Mas, bem conduzido, sem obsessões, sabendo que seus ídolos também são pessoas com suas limitações e erros e podem motivá-los a lutar pelos seus sonhos. 

Com que idade as crianças começam a ter ídolos 

As crianças pequenas só têm um ídolo que admiram diariamente: os seus pais. Para elas, os seus pais são como super-heróis e não há quem consiga vencê-los. Mas, a partir dos oito anos, as crianças começam a buscar outros ‘super-heróis’ longe dos seus lares. Pode ser inclusive, um desenho animado. 

E se a memória não falhar, qual ídolo você teve quando pequeno? Aquele cantor que você admirava e que te fazia se vestir de determinada maneira. Aquele jogador de futebol que o fazia desejar se tornar um grande goleador. Aquela atriz que você forrava o quarto com suas fotos. 

Segundo o psicólogo Alfonso Correa, ter um ídolo desde criança é a coisa mais normal do mundo, já que justifica esse empenho em buscar nossa identidade. A gente sempre está buscando referenciais.

O melhor é não impedir que a criança tenha seus próprios ídolos. Segundo os especialistas, os pais não devem coagir as crianças sobre quem devem ou não seguir. Podemos opinar, é claro e até mesmo compartilhar com nossos filhos qual ídolo a gente gosta, e até mesmo impor limites, mas nunca obrigá-los a desejar seguir este ou aquele ídolo. Esse tipo de proibição só consegue o efeito contrário. 

Estefanía Esteban

Redatora de GuiaInfantil.com