O que os pais esperam de um colégio religioso?

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Há alguns dias eu escutei o comentário de uma mãe muito preocupada com a educação do seu filho. Seu filho foi estudar numa escola pública e depois numa escola com ensino religioso, e mesmo assim ela ainda não se sente convencida de que tenha escolhido a melhor escola para ele.

Esta mamãe matriculou ao seu filho em uma escola religiosa porque considera que uma boa escola não é aquela que se preocupa somente com o nível acadêmico, mas também com o ensino de valores. Apesar das suas tentativas, ela continua se sentindo defraudada. 

Os valores e a disciplina não se conseguem somente nas escolas religiosas

o-que-os-pais-esperam-colégio-religioso A

Na minha casa, meus irmãos e eu, desde pequenos, estudamos em uma escola religiosa, e posso dizer com conhecimento de causa, que era muito, mas muito diferente do que minha filha estudou há algum tempo. Os tempos mudaram e a educação que os filhos recebem dentro de casa varia muito de família para família. 

Com isso não estou dizendo que as escolas religiosas de hoje sejam piores nem melhores que as de antes. O que quero dizer é que hoje se tornaram na opção mais fácil e cômoda para muitas famílias para ‘consertar’ o comportamento dos filhos. E o que acontece com isso? 

Algumas escolas religiosas como a que estuda o filho dessa mãe e o que minha filha estudou, nem sempre têm uma estrutura firme e preparada para receber essa ‘avalanche’ de crianças com maus comportamentos, mal educadas, sem limites, agressivas e caprichosas, que acabam prejudicando as aulas e as demais crianças.

Sem dúvida, os valores são muito importantes para a formação de um ser humano, e, por mais que em casa a gente transmita valores como o respeito, a tolerância e a bondade aos nossos filhos, muitas vezes temos que nadar contra a corrente para preservá-los, já que nossos filhos, inevitavelmente aprendem também do exterior, da sociedade, ou seja, dos amigos, da escola, do que assistem na televisão, etc. Muitas coisas que vão de encontro a estes valores. 

E o que se pode fazer? Creio que colocar os filhos em um colégio religioso, meramente para que estejam bem controlados, longe das drogas e de outros vícios, e os tornem em crianças mais disciplinadas, é um grande equívoco. Um colégio religioso não é um gabinete de terapia do comportamento nem de correção de crianças.

Isso é o primeiro. Além disso, as escolas religiosas são dirigidas por uma entidade denominacional e contam com um projeto educativo orientado em valores cristãos. 

Os pais devem ter claros na mente que a educação de cada criança começa em casa, no seio familiar. O ideal é que existisse uma coerência entre a forma de pensar e viver dos pais com a forma de ensino do centro educacional que escolhem para os filhos. Isso evitaria muita confusão nas crianças e muitas dúvidas nos pais. 

Se a criança não recebe, desde cedo, valores fundamentais e o exemplo dos pais na educação dos filhos, não serão os centros escolares que o farão. 

Vilma Medina

Diretora de GuiaInfantil.com