Por que estudantes com baixo rendimento têm êxito profissional

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

As notas boas não são garantia de que se terá um futuro com êxito. As qualificações muitas vezes não são reflexo da capacidade intelectual de uma pessoa. 

Os seus companheiros de escola que tiveram melhores notas tiveram melhor êxito? Existem muitos presidentes de países que fizeram doutorado com louvor? Steve Jobs terminou a sua universidade? A resposta é um não redondo para cada uma delas. 

Ter melhores qualificações escolares não assegura êxito

por-que-estudantes-com-baixo-rendimento-êxito A 

Todos nós temos histórias pessoais ou de professores que lhes disseram que não valiam nada para os estudos e que confiavam pouco no seu futuro profissional. ‘Você nunca chegará a lugar algum’ eu já escutei em alguma ocasião. No entanto, aqueles que conseguiram ir adiante e encontraram seu caminho tiveram êxito naquilo que empreenderam.  A pessoa inteligente que pode brilhar não se pode reconhecer através dos parâmetros de qualificação acadêmica. 

A teoria de Inteligências Múltiplas de Howard Gardner assegura que o êxito acadêmico não garante o triunfo de igual forma que o que fracassa na escola está destinado a ser um perdedor. Existem muitos tipos de inteligência (emocional, matemática...) e é a prática e a experiência que forma a base do desenvolvimento intelectual. Portanto, quem melhor se adapta às circunstâncias enfrentam os desafios e superam dificuldades será quem terá mais êxito.

A inteligência é algo difícil de medir e explicar; é abstrata, inclusive mesmo se realizarmos um teste de inteligência a gente não chega a conhecê-la completamente. Apesar de todos os estudos, ainda não se sabe a ciência certa por que uma pessoa é mais inteligente do que outra. A criança se esforça e trabalha duro na escola, obtém melhores qualificações, no entanto, essa criança não tem por que ser mais inteligente do que outra com notas piores

Crianças inteligentes podem fracassar na escola 

Existem alunos medíocres que têm sido profissionais renomados. Aqui a gente dá alguns exemplos: Steve Jobs jamais chegou a se graduar; Mark Zuckerberg e Bill Gates tão pouco. Albert Einstein tirava notas ruins; Sergei Korolev, que lançou o primeiro satélite artificial no espaço fracassou na escola. Thomas Alva Edson era considerado um péssimo estudante pelos seus professores.

O rendimento escolar de uma criança não pode ser um dos indícios que fale sobre sua inteligência. O êxito e o fracasso de um aluno dependem de muitos outros fatores, entre eles a motivação que receba por parte dos seus educadores e da maneira de ensinar. 

Para que uma pessoa consiga êxito se necessita persistência, obstinação, coragem e muita paixão. É por isso que muitas pessoas que não se esperava grandes coisas alcançaram êxito na vida. Não devemos olhar, portanto, aos estudantes que têm um baixo rendimento, porque talvez diante desse olhar perdido se esconda um gênio em pleno processo de criação.

Alba Caraballo

Editora de GuiaInfantil.com